Korpseoturi

Entrevista Korpseoturi

BY: Miguel Ribeiro

Hintf: Muito obrigado pela entrevista, por favor, digam-nos como e quando tudo começou.

Olá e obrigado pela oportunidade de entrevista. Estamos sempre prontos para dar entrevistas e discutir mais detalhadamente sobre Korpsesoturi como uma banda e sobre a música!

Juha: Bem, há quase cinco anos atrás sentia que estava pronto para voltar às raízes do meu backround musical, para o death metal do início dos anos noventa. Também passei alguns anos a escrever letras em finlandês na Vainaja-band e ficou bastante claro desde o início que as letras do Korpsesoturi também seriam em finlandês. Eu tinha muitas ideias em mente e consegui encontrar um guitarrista para tocar comigo. Então mesmo que os riffs e músicas estivessem bem longe do que o Korpsesoturi hoje em dia soa, eu diria que esse foi o começo. Por outro lado, há alguns riffs no álbum de estreia como o primeiro riff da música Kaivo – é um dos primeiros que eu criei há anos atrás.

Hintf: Korpsesoturi, uma razão especial para este nome?

Juha: Bem, o nome foi baseado em um filme chamado “Zombie Lake, onde havia soldados alemães mortos sob a superfície. As pessoas foram nadar lá e os soldados zombies mataram-nos, hahaha – essa era a história original por trás disso e o nome era um pouco diferente no início. Korpsesoturi foi uma modificação disso. O significado de Korpsesoturi é bem próximo de korpse = cadáver e soturi = guerreiro. Em primeiro lugar, os ouvintes pensaram que o nome era uma piada, mas hoje em dia a maioria das pessoas, especialmente fora da Finlândia, disseram que é um nome muito porreiro para este tipo de banda.

Hintf: Houve muitas alterações no alinhamento?

Juha: Bem, ao longo dos anos houve cerca de 10-12 pessoas que passaram por Korpsesoturi. Tem havido gajos viciados em drogas e álcool, gajos que não entendiam o quão sério eu realmente sou sobre o Korpsesoturi como uma banda e apenas gajos que pensavam que entrariam nesta cena tocando nos Korpsesoturi. A maioria deles não entendeu que mesmo que o Korpsesoturi soe fácil de tocar e coisas assim – os riffs não são tão simples e o ritmo rápido mata-te se tu não focalizas o que estás a fazer. Na altura – e eu diria agora que estou com os gajos que se encaixam perfeitamente no Korpsesoturi – há Sami que toca bateria até encontrarmos um baterista a tempo inteiro e Marko que toca guitarra. Sami tem mais background de black metal e grindcore e Marko tocou metal mais simples e mais suave.

Sami: Continuo a me perguntar se somos muito intimidantes como grupo, já que as pessoas continuam a passar pela porta de vez em quando ou se é o humor que repele as pessoas, embora eu ache que é uma parte muito importante para uma banda, que eles possam trabalhar juntos no melhor e no pior, especialmente no pior. Eu sinto que agora encontrámos o que Korpsesoturi deveria ter sido desde o início: semiprofissional, mas também um grupo que não se leva muito a sério, além de que a oferta ainda está de pé; Eu vou fazer um espetáculo de Korpsesoturi a tocar acordeão se eu puder colocar minhas mãos num novo acordeão (já que meu velho e fiel estragou-se depois de 20 longos anos) e se pudermos encontrar um baterista substituto para o espetáculo.

Hintf: O que influencia a vossa música?

Juha: Bem, essa é uma questão que eu poderia discutir por dias, hahaha! Principalmente como podes ouvir do álbum “Malus Corpus”, as raízes são audíveis e as influências são das minhas raízes de death metal do início dos anos noventa. No entanto, como eu também estive no black metal desde o início dos anos noventa, também trouxe algumas vibrações desse lado também. Eu também já toquei em bandas de black metal durante algum tempo, mas eu preciso dizer que eu não quero tocar apenas black metal, mesmo que eu ame escutar isso. Eu também ouço rock, pop e música country – sim hahaha verdadeiro estilo country com banjos e etc é fenomenal! As letras veem directo da minha vida pessoal, mas não vamos entrar nessa questão agora.

Sami: A fria realidade da década de 2020 parece ser a maior inspiração para mim pessoalmente. Há tanta crueldade e escuridão a acontecer no mundo que nem precisas procurar inspiração, já que parece vir até ti por conta própria.

Hintf: OldSchoolDeath Metal, alguma razão em especial?

Juha: Bem, eu nasci nos anos 70 e entrei na música de metal já nos anos 80. No final dos anos 80, entrei no death metal e comecei a minha primeira banda por volta de 1990 – chamava-se Distortion e tocávamos death metal. Eu ainda tenho algumas fitas demo guardadas no armazém. Então, essa banda é como um fecho de ciclo e eu realmente tenho que dizer que houve bandas muito boas onde eu me envolvi ao longo das décadas Korpsesoturi é mais para libertar os meus sentimentos mais sombrios e a minha história pessoal na música e letras.

Sami: Blast beats meu, nada bate mais que blast beats!

Hintf: Como é trabalhar com três editoras, podem explicar melhor?

Juha: Bem, quando a primeira promo oficial de quatro músicas estava pronta, nós mandamos o cd à volta do mundo. A Caco Daemon Records (na Alemanha) queria fazer um lançamento limitado de cassetes. Esta editora também está a lançar uma edição no Japão este ano! Eles têm uma boa posição no underground do death metal. O segundo lançamento da promo foi feito pelo Death in Pieces Records (do México) incluindo algumas fitas demo desde o início – eles também ofereceram uma promoção muito boa, então foi um óptimo negócio para acompanhar. O contrato de discos com a RottedLife para um longa-duração foi originalmente acordado há dois anos – Jason Mantis entrou em contacto comigo e perguntou-me se isso seria algo a fazer com ele. Bem, eu conhecia o nome de Jasons do passado como um entusiasta do underground, mas eu estava realmente honrado com o negócio. Jason também começou uma nova editora ao mesmo tempo e o Korpsesoturi / Malus Corpus foi um dos primeiros lançamentos da editora RottedLife! Trabalhar com três gravadoras tem sido muito fácil, pois todos eles têm o tipo de trabalho deles. Agora está a faltar uma editora para lançar o álbum em formato vinil – entrei em contato com várias, mas ainda não tive sorte. Isso pode significar que devemos fazer um auto lançamento, mas vamos ver o que acontece – eu tenho o vinil disponível para que tudo esteja pronto.

Hintf: Para quando um álbum?

Bem, o primeiro álbum Malus Corpus foi lançado no ano passado. Há um monte de ideias novas e antigas a serem escritas para as músicas, então um pré-plano é gravar o segundo álbum no próximo inverno. Não tenho certeza ainda qual a editora que irá fazer o lançamento, mas isso não vai ser um problema.

Sami: Nós preferimos deixar a música escrever-se sozinha e não forçar; se sentirmos a inspiração a chegar, nós começamos a “ferrar quando o ferro está quente, e neste momento o ferro está em chamas”!

Hintf: Como é ter uma banda como a vossa? É Possível viver apenas da música?

Juha: Korpsesoturi é um canal para expressar minha vida no bem e no mal. Pessoalmente, acredito que se fosse mudado para uma profissão – poderia perder o lado cru, porque então seria necessário pensar mais sobre os ouvintes e como torná-lo um produto vendável. Eu quero mantê-lo como é fantasticamente brutal e música que não está a tentar ser algo que não é. Eu também acho que não seria possível ganhar a vida com este tipo de música, mas quem sabe. Se pudermos cobrir a viagem, pelo menos em parte, vamos a qualquer lugar do mundo para tocar ao vivo!

Sami: É um hobby e uma maneira de me expressar, eu não vejo o death metal como uma carreira. Se nós fizéssemos isso numa profissão, como em uma fonte principal de estabilidade financeira, eu veria isto a perder todo o sentido. A música escrita (eventualmente) se tornaria uma tarefa e não seria tão natural e isso é claramente o que não nos interessa.

Hintf: Como é a cena musical em Kouvola?

Juha: Bem, eu moro em Kouvola há quase dez anos. Escusado será dizer que a cena death metal está viva na Finlândia e há talvez mais bandas do que nunca em torno da Finlândia, mas ao mesmo tempo os locais estão a decair devido à economia. Em Kouvola a cena está viva e há alguns bons locais para se tocar ao vivo, mas para ser honesto – o Korpsesoturi não tem tocado em Kouvola e eu não tenho a certeza se haveria pessoas suficientes para o fazer.

Hintf: Quais são os planos para o futuro e os maiores sonhos?

Juha: Escrever novas músicas, lançar o segundo álbum, fazendo alguns concertos e assim por diante. Talvez os meus maiores sonhos se tornem realidade, já que quero que o Korpsesoturi faça concertos fora da Finlândia – já tocamos na Estônia, na Rússia e temos algunsespetáculos no Reino Unido em julho! Negociações em curso para tocar na Alemanha, Bélgica e por ai – eu adoraria tocar em festivais de death metal nos EUA e no Japão!

Sami: Eu concordo com o Juha; O meu sonho pessoal quando começar como músico é fazer uma tour de concertos pelo Japão eventualmente. Uma vez eu fiz uma piada sobre o facto de sermos a primeira banda a fazer um concerto de death metal enquanto andávamos numa montanha-russa, se essa oportunidade alguma vez surgisse, seria para aceitar num segundo!

Hintf: Qual a opinião sobre Portugal? A nossa música e a nossa cultura…

Juha: Bem, eu já notei que no início dos anos 90 Portugal estava tendo algumas bandas de death metal mencionadas nas listas de comércio de zines e álbuns – não me recordo mais dos nomes. Já estive algumas vezes em Portugal e adoro a natureza e os lugares históricos que vocês têm. As aldeias escondidas nas montanhas e assim por diante! Seria uma honra tocar em alguns dos festivais de metal de Portugal no futuro!

Hintf: Imagine que poderia ser um animal, qual escolheria ser?

Juha: Isso é fácil – eu seria um coala. Você já ouviu falar quando eles gritam? Oh meu – é como um demônio do outro lado! Hahaha – o modo de vida deles sempre relaxados também se encaixa muito bem no meu comportamento, hahaha!

Hintf: Por favor, deixem uma mensagem final para os vossos fãs e leitores Hintf…

Obrigado por esta oportunidade e escusado será dizer que estamos satisfeitos com a entrevista. Fãs em Portugal queremos desejar uma primavera metal e enviem-nos mensagens, se vocês tem algumaideia de onde gostariam de nos ver actuar ao vivo! Hi fivepara todos os nossos irmãos e irmãs!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.