Ashes & Waves

Entrevista Ashes & Waves

Por: Miguel Ribeiro

Hintf: Para começar, falem-nos um pouco do historial da banda, como tudo começou…

R: A banda deu os primeiros passos em 2014, quando começamos a gravar as primeiros demos, com os mesmos membros que neste momento estão na banda, eu (Tiago Pereira) e o Miguel Almeida. Já tínhamos tocado juntos em outras bandas, mas nunca foi algo que conseguimos levar muito adiante devido à idade que tínhamos nesses anos, entretanto depois da dissolução do projeto antigo do Miguel, chamado “Redesign”, em 2013, eu também já não fazia parte de nenhum projecto desde 2011/2012, portanto decidimos juntar forças e aproveitar algumas músicas que já tinham sido trabalhadas no projecto anterior dele e que não tinham sido editadas (algumas destas músicas foram editadas no ep dos Ashes & Waves “Year Zero”), e também desenvolver uma nova sonoridade (mais centrada numa óptica progressiva/ambiental e também indo buscar ao metalcore/hardcore alguns elementos) ao fazer novas músicas. Depois desta fase inicial, houve alguma rotação de membros na formação, até termos membros que eram fixos durante o período de 2015 até 2017, no qual lançamos alguns singles e estávamos a preparar um novo ep que ficou arquivado porque houve tensões internas na banda e que resultaram num hiatus temporário desde então. No início deste ano (2019) resolvemos voltar e recomeçar do 0, com a formação original, ou seja somente nós os dois a fazer tudo (desde produção, vocais, guitarras, baixo, etc, em gravação) e em termos de espectáculos ao vivo, temos assegurado alguns membros adicionais que vão tocar connosco que, porventura no futuro, poderão ser inseridos neste processo.

Hintf: Podem explicar-nos o significado do vosso nome? 

R: O nome “Ashes & Waves” é uma alusão a dois elementos naturais que no começo da banda achamos que faria sentido na transmissão da mensagem que queríamos expor nas musicas, ou seja, apelar à atmosfera e também à diferença de texturas que as musicas tinham, o contraste entre o pesado e rítmico, e o lado melódico e ambiental.

Hintf: Quais sentem ser as vossas maiores dificuldades em mostrar o vosso trabalho?

R: Existe muita saturação no mercado de bandas e acaba por tornar-se um pouco complicado “furar a bolha” e destacarmo-nos das restantes bandas, especialmente no contexto das redes sociais em que é necessário muita consistência a nível de output de conteúdo e também na qualidade do mesmo para manter o interesse dos fãs e na captação de potenciais fãs. A ajuda de editoras e promotoras (independentes), neste caso, é o que muitas vezes faz diferença na questão de colocar a imagem e o som da banda em frente do público.

Hintf: Quais as principais diferenças entre o actual da banda e quando os Ashes & Waves começaram?

R: Maturidade. Fomos aprendendo enquanto fazíamos, o que por um lado é bom porque experênciamos tudo em primeira mão sem guia, mas por outro desperdiçamos imenso tempo em situações que não tinham solução e insistimos imenso nos erros até aprender que a melhor maneira não era, de facto, por aí. Dito isto, tornamo-nos muito mais objectivos em termos de composição (“to the point”), e já estamos mais estáveis a nível de sonoridade.

Hintf: Podem divulgar mais pormenores sobre o novo single “Swimparty”?

R: Sim, fizemos este single para mostrar aos fãs antigos que isto é apenas o começo, e também para mostrar o make over que levou a nossa sonoridade, que daqui para a frente vai ser consistente. Em termos de conteúdo, a música lida com temas de dependência emocional, e a maneira de lidar, neste caso usando como ferramenta o exemplo de uma pessoa que sofre de alcoolismo, criando paralelos entre a dependência de álcool e emocional.

Hintf: Como está a vossa agenda?

R: Neste momento estamos a planear o lançamento de vários singles, cuja “swimparty” faz parte de, que vão fazer parte de uma compilação/ep que irá ser lançado brevemente, ainda neste presente ano. Ainda está a ser discutido alguns showcases ao vivo, mas é muito provável que ainda vão ver Ashes & Waves em palcos até ao final do ano.

Hintf: Que bandas/artistas mais vos inspiram?

R: Everytime I Die, Bring me the Horizon, Slipknot, Sleepmakeswaves, Norma Jean , entre muitos outros que podemos estar a esquecer neste momento de referir, mas esses são os principais que trazemos como influências para a banda, obviamente em termos de gostos pessoais de ambos os membros são extremamente eclécticos indo do jazz e R&B até à música clássica, sendo que por vezes essas influências mais outsider que dão o tempêro especial a algumas partes das músicas.   

Hintf: Deixem uma mensagem aos leitores da Hintf e aos vossos fãs…

R: Esperemos que gostem das novas músicas que temos a caminho e que nos sigam no futuro! Um grande obrigado á Hintf pela oportunidade e também aos leitores e fãs da banda!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.