NightMyHeaven

Banda: NightMyHeaven

Título: “Across the dark side”

Editora: Independente

Data de Lançamento: 15.Abril.2016

Presentemente a banda abrange os estilos Melodic Black e Death Metal, são de Guimarães o nosso berço no distrito de Braga e este é o segundo álbum de longa duração sendo que o primeiro trabalho reporta a 2005 e foi um EP “Nightfall in the Spiritual World” o antecessor de longa duração apelida-se de “Nightology” e data de 2009.

Desde a data de lançamento que têm vindo a divulgar a sua música mediante apresentações ao vivo e em entrevistas. Houve entretanto algumas mudanças no alinhamento sendo presentemente na bateria o Nuno Freitas, guitarra o João Filipe acompanhado do Alfredo que também é o vocalista, Bruno Sousa nas teclas e Toninho no baixo.

São quarenta e oito minutos de excelente metal que começa com riffs e bateria numa “Intro” de um minuto e quarenta segundos dando assim o devido seguimento a “Nights Darkside” com música mais arrastada notando-se um pouco das raízes de black metal, o gutural remete-nos a essas melodias também. “Riders of the Apocalypse” é a seguinte sempre com batida compassada em equilíbrio perfeito com os restantes instrumentos em que nada sobressai em demasia e tem um final épico com gutural a desvanecer.

“Kill your King” rebenta os auscultadores, blast beats e riffs bem demarcados o gutural arrastado mistura-se excelentemente com as notas do baixo. A destilar energia e a bateria a bombar é “Chanel of Doom” com um entrosamento fantástico de todos os elementos, bateria, voz, teclas e o solo de guitarra está excelente.

Num contínuo headbang seguimos com “Slayer of Deities” com entrada suave e borbulhante de sons de água corrente que nos arranca de alguma emoção mais introspectiva assim que a bateria irrompe e o gutural potente saído da alma nos faz abanar a cabeça.“Amidstthewolves” tem final notável. “Daughter of Hecate” é mais melódico, não se notando o arrastar tanto de voz como de batidas de bateria. “The flight of the Harpies” não sai desse registo e continua num belo exemplar de death, black melódico, a secção de guitarra está cativante! “Hades Hellbound” continua a prender a atenção assim como os ouvidos e chegámos à última com “outro” numa sonoridade mais calma com a presença de vocal lírico que depois do voo das Harpias e do fogo de Hades vem serenar o ambiente e os altifalantes dando um final épico.

Com excelente produção a conjugação de sons está fenomenal não chegando a ser completamente black metal, o gutural potente tem um alcance brutal. Nota-se dos trabalhos anteriores uma evolução notória na banda a nível musical, numa conjugação bem conseguida de Death e Black Metal ou apenas Metal. Para mim têm um excelente potencial e o caminho que escolheram trilhar é este mesmo! 

Pontuação: 8/10

Por: Paula Pedroso

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.