Artigo 21

Entrevista: Artigo 21 (Daniel Hipólito)

Por: Miguel Ribeiro

Hintf: Para começar, falem-nos um pouco do historial da banda, do vosso percurso até formarem os Artigo 21 , como tudo começou…

Os Artigo 21 não são mais que uma mescla já que os seus 5 elementos provêm de vários quadrantes musicais. O Xico e o Nika já eram amigos de infância e enquanto um está ligado à escola do jazz mas adora o metal, o outro está ligado ao punk mas passou pelo rock e funk. OAureo sempre teve uma orientação para o rock pesado, grunge e skate punk. O mais novinho da formação, o Tiago Cardoso, também viu no punk rock a sua salvação. Eu passei pelo crust, stoner, straight-edge, punk rock, tanto na bateria como na guitarra, sempre a tentar contribuir para a “cena” desde novo. Foi neste cadinho de influências e experiências que, em 2012, se formaram os Artigo 21.

Hintf: Podem explicar-nos o significado do nome escolhido para este projecto e o que querem com ele transmitir-nos?

O nome da banda partiu dum artigo retirado directamente da Constituição da República Portuguesa que significa que todos temos o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os nossos direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública. Por isso, tanto em termos constitucionais como a nível pessoal onde temos de defender a nossa liberdade e sanidade confrontando o que nos rodeia, acreditamos que é um nome que nos representa. Foneticamente também achamos que soa bem e enquadra-se perfeitamente no nosso espírito punk rock.

Hintf: Como vêem o actual panorama musical em Portugal?

Atendendo ao estilo em que estamos inseridos, que engloba a música considerada pesada e de intervenção, o panorama musical actual é favorável, na medida do possível. Não é fácil chegar aos “grandes palcos”, no entanto todas as pessoas envolvidas no nosso meio dão o seu melhor e contribuem para que a cena se movimente de alguma maneira o que também nos tem dado a oportunidade de tocar em festivais como o Casainhos Fest, Bardoada ou o Moita Metal Fest, que englobam vários géneros musicais como o metal e o hardcore, por ex.criando assim também uma união entre estilos e uma ligação com um público que habitualmente não é o nosso.

Quais sentem ser as vossas maiores dificuldades em mostrar o vosso trabalho?

Hoje em dia é difícil apontar alguma dificuldade em mostrar o nosso trabalho quando existem montes de plataformas digitais áudio, vídeo e redes sociais. O que realmente podemos realçar são alguns “spots” que infelizmente vão encerrando, principalmente em meios mais pequenos, o que acaba por nos limitar a tocar só nas cidades principais.

Hintf: Quais as principais diferenças entre o actual da banda e quando os artigo 21 começaram?

Embora desde o início o objectivo da banda fosse muito claro para nós, obviamente o caminho percorrido desde 2012 até aqui fez com que algumas coisas mudassem. O objectivo mantem-se o mesmo mas o foco e a responsabilidade agora são outros e acho que essa é a grande diferença. Existe aquele espírito de superação: Se fizemos bem, vamos agora tentar fazer melhor. Sabemos cada vez mais aquilo que queremos e sabemos também que desistir não vai acontecer. Podem contar connosco para os próximos tempos.

Hintf: Podem divulgar mais pormenores sobre o novo album que aí vem?

Bem, este novo álbum vai trazer uns Artigo21 mais “maduros”, mas com a mesma determinação e energia que já apresentávamos. As letras estão menos inocentes e as músicas mais cuidadas. Já passaram uns anos desde o primeiro disco e todos nós, individualmente e como banda, fomos ultrapassando vários desafios e acho que o disco é fruto de tudo isso. Houve, na nossa perspectiva, uma evolução relativamente ao álbum anterior e temos a convicção que os nossos fãs irão ficar contentes com o resultado final. A edição é da INFECTED RECORDS e a gravação ficou mais uma vez a cargo do Miguel “Vegeta” Marques que com todo o seu empenho, envolvimento e profissionalismo nos voltou a desafiar a quebrar alguns dos nossos próprios paradigmas. A masterização ficou a cargo do Rui Dias que deu a sua contribuição fantástica e ajudou-nos a elevar ainda mais a nossa obra e o Art Work é do grande Samuel Lucas. A eles, o nosso muito sentido agradecimento.

Hintf: Como está a vossa agenda?

Para já estamos a preparar a nossa Ilusão Tour para 2019, temos alguns concertos já agendados nomeadamente o do lançamento do novo álbum no dia 2 de Março no RCA Club, no dia 6 de Abril vamos ao Moita Metal Fest, a dia 20 de Abril estamos presentes no Arganil Rock e dia 25 de Maio estamos no Vai d’embute Fest no Motoclube do Oriente.

Hintf: Que bandas/artistas mais vos inspiram?

As nossas inspirações são muitas e vão desde o metal ao punk, passando pelo rock, jazz ou pop. No que respeita a bandas que nos inspiram vai desde os Bad Religion, Pennywise, Ignite, NO FX, Lagwagon, Censurados, até aos Pantera, Biohazard, Slayer, Machine Head,etc.                                                

Hintf: Deixem uma mensagem aos leitores da Hintf e aos vossos fãs…

Desde já, e porque nos encontramos a menos de um mês da festa de lançamento do nosso próximo álbum, gostaríamos de os convidar a todos a fazer parte da festa que vai ter lugar no próximo dia 2 de Março no RCA Club em Lisboa. Este disco foi algo que nos deu imenso prazer e orgulho e compartilha-lo com todos vocês nesse dia será, sem dúvida, uma honra.Lembro ainda que na compra do bilhete levam o álbum em CD.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.