Malevolent Creation

Banda: Malevolent Creation

Título: “The 13th Beast”

Editora: Century Media Records

Data de Lançamento: 18.Janeiro.2019

“No one can destroythis Malevolente Creation” – esta frase define na perfeição o novíssimo longa duração dos MalevolentCreation, um álbum impiedoso, colossal, e astuto.Com um sabor agridoce, “The 13th Beast” é dedicado á memória de Brett Hoffmann, que faleceu no verão passado vítima de cancro, e estreia o vocalista Lee Wollenschlaege que assume também as funções de guitarrista.

Para além do novo frontman que demonstra verbalmente algumas similaridades com o antecessor vangloriando a tendência gutural, o herdeiro de “DeadMan’sPath” (2015) faz igualmente o baptismo do baterista Philip Cancilla, e do baixista Josh Gibbs, remanescendo apenas da formação original o guitarrista Phil Fasciana.

Ao décimo terceiro álbum de originais, o renovado quarteto provindo de Fort Lauderdale, Florida toma de assalto os nossos ouvidos e sentidos, deixando os resistentes perplexos. Com uma atmosfera vigorosa e perdurável ao longo dos treze (13) temas, o prefácio intitulado “End Of Torture” aparenta abundante melodia, mas que num repente faz a mutação para um som cínico e continuamente bruto e pujante. A supremacia Death Metal aprova uns momentos Thrashgravados nos temas “Mandatory Butchery”, e “Decimated”exibindo a agressividade da bateria e dos riffs de guitarra pulverizando um imperioso estrondo. O género primordial tem o ex-libris com “Born Of Pain”, um tema embalado num ritmo furioso, batida desenfreada, e um baixo em evidência.

Embora não seja um trabalho imperioso, os Malevolent Creation patentearam com determinação e honestidade o renascimento da banda, que entusiasma decerto qualquer simpatizante do estilo.

Pontuação: 8/10

Por: Sabena Santos Costa

Edição: Mário Filipe Pires

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.