Equaleft

Banda: Equaleft

Titulo: “We Defy”

Editora: Raising Legends Records

Data de Lançamento: 01.Fevereiro.2019

A história testemunha que desde muito cedo a cidade invicta deu nome a Portugal, com igual firmeza se pode ratificar que no movimento underground daquela área metropolitana existem os Equaleft, e só depois todos os outros. Com os seus singulares andamentos e movimentos num progressivo Groove, o quinteto chefiado pelo indomável e ecléctico vocalista Miguel Inglês formaliza sem paralelo a sua marca de água musical.

O sucessor do álbum de apresentação “Adapt & Survive” (2014), avaliado honestamente como um dos melhores registos Nacionais daquele ano, concorre no mínimo a um distintivo análogo. A estaladiça novidade “We Defy” matizada por onze (11) superlativas camadas com uma longevidade de quarenta e seis (46) minutos, documenta uma banda que nos últimos quatro (4) anos trabalhou, aprimorou, e prosperou exponencialmente a sua idoneidade lírica e instrumental.

Toda a medula dos Equaleft não foi deixada ao acaso, muito pelo contrário, este segundo álbum de originais insulta com a exclusiva linha de baixo em “Mindset”, a oração cavernosa e febril com efeitos growls infamados de screams em “Fragments”, e a enfática e malévola bateria que liberta blast-beats em barda durante o tema “Once Upon A Failure”, enfeitado com um solo concretizado pelo guitarrista André Ribeiro (Sullen, ex-Oblique Rain). Os refrões pegajosos em “Realign” são estimulados pelas cordas das guitarras, e a experimentação em “Uncover The Masks” que enfatiza o saxofone de José Pedro Gonçalinho, finda esta bolacha motivadora de gula.

O início deste ano civil não podia ter começado melhor, os malhões embutidos em “We Defy” desafiam pela originalidade e insolência de dégradés sem perca de identidade. Mesmo não sendo um álbum fácil pela sua densidade, é espontâneo na forma como se criam ambientes sui generis pela eficiente triagem de samplers. Rematando, o know-how dos Equaleft está limitado ao infinito das suas ideias e competências, superando continuadamente o previsível.

Pontuação: 9,6/10

Por: Paula Antunes

Revisão: Mário Filipe Pires

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.