Tones of Rock

Entrevista Tones of Rock

Por: Miguel Ribeiro

Hintf: Para começar, falem-nos um pouco do historial da banda, como é que tudo começou?

Francis Venus: Tudo começou quando o meu irmão (Danny Shred) começou a tocar guitarra. Foi da noite para o dia, e logo de seguida começámos a compor e tocar death/black metal no quarto. Pouco tempo depois convidaram-nos para tocar ao vivo, e achámos que não era decente ir mostrar metal. Acabámos por tocar uns covers de rock.

O primeiro concerto (25 Abril 2009) foi só guitarra e voz, um PC a passar backing track, e um amplificador de guitarra a projectar guitarra, backing track e voz….. para um campo de futebol numa escola… onde estava um conjunto de carros tuning…

Mais tarde disseram que era melhor termos músicas nossas, fomos atrás. Depois disseram que nos vestíamos como azeiteiros, e fomos aumentando a extravagância.

Acabámos por juntar amigos para formar a banda, portanto começámos do zero. Não havia background de tocar ao vivo ou tocar em outras bandas. O baterista não sabia tocar, dois dos membros da banda eram menores de idade, a baixista era a minha namorada. Só ao fim de uns 20 concertos é que começámos a cimentar uma personalidade forte como banda.

Mais tarde conhecemos o Rick, que é o atual baixista, e aí as coisas começaram a arrancar com mais força.

Começámos a tocar em concursos, ganhar alguns, e acabámos por começar a tocar em alguns eventos de metal e rock. Além de festas da terrinha (ya, é mesmo isso).

Tocámos duas vezes após vacadas. E temos outras quantas histórias com bovinas ao barulho.

Hintf: Podem explicar-nos o significado do nome Tones of Rock?

Francis Venus: Não houve muito tempo para pensar… Disseram-nos que era preciso um nome para o primeiro “concerto” e como íamos tocar rock e sabíamos que seríamos versáteis, acabámos por escolher isto. É um bocado básico mas não deixa de se associar com aquilo que nós somos: Tonalidades. Tonalidades de cor, tonalidades sonoras.

Os amigos disseram para manter o nome e não nos preocupámos mais com isso.

Hintf: Quais sentem ser as vossas maiores dificuldades em mostrar o vosso trabalho?

Danny Shred: Eu diria que temos tido alguma dificuldade em nos enquadrar num público. Por exemplo, os últimos concertos têm sido sobretudo em ambientes mais pesados (heavy metal, death metal, metal core) e, apesar do público de metal nos aceitar bem, achamos que também poderíamos ser compatíveis com outros públicos. Ao longo dos anos ganhámos essa ideia de que as pessoas habituadas a outros estilos (pop, rock) acham piada à nossa ousadia e irreverência. É pena não haver tanta oportunidade para festivais/ concertos para outros públicos, mas acreditamos que a internet é a chave.

Hintf: Quais as principais diferenças entre o momento actual da banda e quando começaram?

Francis Venus: Como começámos do zero as diferenças são imensas. Mas comparando desde o ponto em que tínhamos banda completa, a maturidade em palco, a maturidade em composição, a performance, são as principais diferenças.

Hintf: Para quando um album?

Rick Madison: Não quero prometer uma data, mas, se tudo correr bem, podem contar com um álbum novo dos Tones of Rock num futuro próximo! Temos vários temas novos preparados, alguns dos quais até já foram apresentados ao vivo e recebemos bom feedback.

Este já será o nosso 2º álbum. Em 2015 lançámos o nosso álbum de estreia, “Glamourized”, do qual fazem parte alguns temas como “Glam Robot” ou “Hot Tiger, Love Desire”.

Estamos a trabalhar neste momento. A expetativa é alta e estamos certos que este álbum será ainda melhor!

Hintf: Uma editora está nos vossos horizontes num futuro próximo?

Danny Shred: Dificilmente. Sabemos que o negócio da música mudou muito nos últimos anos e, por isso, não vemos uma editora como uma prioridade. Dantes para seres uma banda de renome ou para gravar um álbum tinhas que ter uma editora. Considerando a facilidade que existe agora em produzir conteúdo em casa, acreditamos que um bom vídeo pode fazer a diferença e, se correr muito bem, talvez se equacione uma editora.

Hintf: Como está a vossa agenda?

Rick Madison: Tocámos recentemente no Massacre Metalfest ’18 em Á-dos-Loucos com Machinergy, All Against, Speedemon e My Enchantment. Muito bom, mesmo! Mas agora o foco está no novo álbum…

Dylan Krash: A nossa agenda para os próximos 2/3 meses vai estar totalmente ocupada com o processo de construção do novo álbum ao qual decidimos que íamos dar prioridade. Temos muitas músicas frescas, algumas que até já tocámos ao vivo, e queremos gravá-las.

Na verdade, estamos a contar com uma agenda bastante apertada assim que lançarmos o novo álbum, não só a nível de concertos, mas porque também vamos ter muito material novo, desde videoclips, a novos alinhamentos, novos espetáculos ao vivo… Vai ser brutal, estamos confiantes!

Hintf: Que bandas/artistas mais vos inspiram?

Francis Venus: No início não tínhamos muitas referências dentro do género. Tentámos fazer rock sem grande background e isso ajudou a construir uma identidade especial. Mas hoje em dia as referências são mais que muitas: KISS, Motley Crue, Whitesnake, Poison, Def Leppard, Ozzy, Judas Priest, Bon Jovi, Guns, ZZ top, Scorpions, Steel Panther, Aerosmith, AC/DC.

E Black Metal.

Hintf: Porque escolheram o Glam & Hard Rock?

Francis Venus: Na verdade nós não escolhemos, ele é que nos escolheu a nós.

Quando nos pediram para tocar ao vivo, e achámos que era melhor rock do que metal por causa de eventuais pessoas idosas, nasceu a tendência para o género.

No meu caso, acaba por ser também um reflexo da personalidade.             

Rick Madison: Eu confesso-me um entusiasta da década de 80. Sem dúvida, a era da estravagância, da loucura, da libertação. Sem limites, mesmo. “Sex, drugs & Rock ‘n’ Roll”, não é verdade?

Foi precisamente nessa época que o Glam Metal e o Hard Rock explodiram e, mais do que apenas a música, criaram uma nova atitude e estilo de vida com o qual nos identificamos. Estamos cá para reanimar o Glam Metal, ser uma referência em Portugal e mostrar que o Metal não se pinta só de preto – arrisquem no glamour!

Esta é a nossa música, a nossa identidade. E as mulheres adoram, mesmo.

Hintf: Deixem uma mensagem aos leitores da Hintf e aos vossos fãs…

Francis Venus: Venham ver-nos ao vivo. E tragam as vossas namoradas para sentir a serpente.

Danny Shred: Apoiem a música nacional! Ajudem os músicos a deixar de fazer música como hobby ou a complementar as horas vagas com concertos de música pimba ou aulas de música. Até ao próximo concerto! Rock on |m|

Rick Madison: Às nossas fãs e pessoas que nos seguem, um grande obrigado pela energia e por todos os momentos que temos partilhado ao longo dos anos, quer no palco, quer no backstage. Só vocês nos fazem crescer.

A quem nos está agora a conhecer, ouçam-nos, falem connosco e sigam-nos nas redes sociais.

Let’s party hard!

Dylan Krash: Visto que já foi tudo dito, aproveito para deixar uma pequena mensagem aos nossos fãs na Alemanha: Aftasardemhemorróidasidem!

Sigam-nos em: https://www.facebook.com/tonesofrock/

Ouçam o nosso álbum de estreia, “Glamourized”, no Spotify em: https://open.spotify.com/album/0RFr8QYGgddsGP2Og2OXUL Vejam o nosso videoclip para o single “Hot Tiger, Love Desire” em: https://www.youtube.com/watch?v=GCBKovwT2rI

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.