HochiminH

Entrevista HochiminH

Por: Paula Antunes

Hintf: Antes de mais agradecemos o vosso tempo para com esta entrevista e começando pelo início, contem-nos como tudo começou, de onde surge a ideia de formar Ho Chi MinH?

Boas, desde já agradecer também a vossa disponibilidade e interesse em saber algo mais sobre a nossa história.

A ideia de formar HCM surge do terminar de outro projecto.

Eu, Skatro, assim como o Pina e da formação atual o João Rosa, tínhamos um projecto chamado Blast. Quando esse projecto terminou, convidei imediatamente o João Pina para formar outro, e assim surge HCM.

Juntou-se o Aresta e o Filipe Páscoa (ainda hoje muito ligado a nós, mas não como músico) e assim começou a aventura em Setembro de 2001.

Hintf: Escolhem para nome da banda o de uma personagem que marca a história de forma relevante e que ainda hoje mantém culto aos seus ideais. Querem explicar-nos porquê?

Esta é a questão que mais vezes se abate sobre nós… A escolha do nome nada teve a ver com temática política ou como perguntas com a personagem Ho Chi Minh… Na verdade tudo começou com o desejo de não ter um nome em inglês, gostávamos de ter um nome com uma fonética diferente, que fosse diferente, e um amigo nosso disse: “- Ponham Ho Chi Minh”, apesar de sabermos que existia uma cidade com esse nome e também o General Ho Chi Minh, foi a designação de “Ho Chi Minh – aquele que ilumina” que nos agradou.

Na verdade nunca tivémos bem a consciência que a escolha deste nome iria ser conotado de uma forma política, gostámos da sua fonética, de ser diferente e de ficar “no ouvido” e assim ficou.

Hintf: Ainda nesta linha de pensamento e sendo que este ‘iluminado’ nos deixou 8 mandamentos, seguem alguns destes mesmos mandamentos/ensinamentos, ou tentam incutir alguma desta filosofia nas vossas letras?

Respondido na pergunta anterior.

Hintf: 2001 é o ano que marca o início da vossa existência e desde então editaram já algumas pérolas da nossa música mais pesada. O estilo metalcore é o que melhor vos caracteriza, mas no entanto têm conseguido conjugar outras variantes tornando a vossa musicalidade original e deveras interessante. Como definem os HCM a sua sonoridade e o que vos influencia musicalmente?

Na verdade temos alguma dificuldade em caracterizar o nosso som, e penso que em parte muitas pessoas também. Nunca procurámos inserir-nos em nenhum estilo musical, e viémos de “estilos” musicais diferentes, apesar de todos virmos de estilos alternativos.

Desde o HC, ao Metal mais clássico, ao punk e o Nu Metal onde tudo se fundia, tudo influenciou a nossa identidade, mas aquilo que mais nos caracteriza é a utilização de programação de uma forma bem clara e consistente.

Sempre tive a vontade de intruzir a eletrónica na nossa música o que acontece desde 2001, e isso sim sempre nos caracterizou como uma banda “diferente” de muitas outras.

Hoje em dia elementos electrónicos estão em quase todos os estilos do metal, mas nós sempre explorámos essa componente.

Hintf: De entre as canções que fazem parte da vossa discografia, têm uma versão bastante ousada e original de um tema ícone dos queridos anos 80… A ‘Enjoy the Silence’, dos Depeche Mode, uma verdadeira antítese não só ao estilo como também ao silêncio que não queremos da vossa parte. Porquê este tema?

Da minha parte, os Depeche Mode sempre fizeram parte do meu crescimento pela influência da minha irmã. E na verdade sempre ouve algo neles que me agradou. Para mim Depeche Mode é uma banda com um som épico, grandioso mas também “triste” e quando se falava em fazer uma versão, para mim era sempre a “Enjoy The Silence”.

O facto de sermos uma banda “barulhenta” ironiza na perfeição com o nome da música o que também me agrada bastante.

A mensagem fala por si, e o sentimento de que tudo o que precisamos está nos nossos “braços” e de certa forma depende da atitude que nós temos perante a vida diz tudo.

Hintf: Editaram recentemente e mais uma vez em parceria com as editoras nacionais Raging Planet e Raising Legends Records, o vosso EP “Ashes”. Com apenas 4 temas conseguem arrasar e elevar a fasquia da que já conhecemos vossa qualidade. Falem-nos um pouco deste disco, o que vos levou a escrevê-lo, qual a sua ideia concetual?

Este disco aparece numa fase que considerámos decisiva. Ou conseguiamos mudar alguma coisa e elevar a nossa música para outro patamar ou então teria pouco sentido continuar a fazer “o mesmo”.

E nesse sentido tomámos a decisão de ir para estúdio e juntamente com o Vasco Ramos produzir este EP.

O desafio lançado ao Vasco (que nos conhece desde 2001) foi “modernizar” o nosso som sem perder a nossa identidade. Ficámos rendidos à qualidade e visão que ele conseguiu colocar em nós.

Sentimos logo, desde o ínicio, que estávamos a conseguir elevar o nosso som e sentimos que continuávamos a ser nós. Sem dúvida que ele tem um papel fundamental nesta nossa nova fase.

A ideia foi voltar um pouco às nossa raízes e ter um som mais direto, mas acima de tudo mais “bruto”, sem nunca perder a densidade e atmosfera melódica que sempre tivémos.

Estamo muito satisfeitos e temos produtor.

Hintf: Quem já vos viu atuar sabe que são um autêntico furacão, entregam-se e fazem com que o público se renda também. Como têm sido estes anos de estrada e que melhores memórias guardam deste vosso percurso?

As melhores memórias que temos hoje, é perceber que passados 17 anos continuamos juntos. A rir, a desatinar mas acima de tudo a fazer algo que gostamos muito. O que mais nos impressiona é capacidade que temos tido de continuarmos a gostar e desfrutar de algo que já fazemos à muito tempo.

Hintf: E como estão de agenda para a contínua apresentação do vosso trabalho? Onde e quando vos teremos num palco perto de nós?

Estamos a preparar as datas para o ano, e a preparar uma grande surpresa para quem gosta de nós… Mas se contarmos deixa de ser surpresa.

Hintf: Por fim mas não menos importante, deixem-nos uma mensagem aos nossos leitores e vossos seguidores…

Agradecer desde já a todos os que nos apoiam e prometer desde já que teremos muitas novidade para o ano.

Voltámos com tudo e contamos com todos para continuar mais uns aninhos a disfrutar com todos vocês.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.