Chrome Divison

Banda: Chrome Divison

Título: “One Last Ride”

Editora: Nuclear Blast

Data de Lançamento: 16.Novembro.2018

Parece que chegaram ao fim pois lançaram o quinto e último álbum da banda. Liderada por Shagrath, nome artístico de Stian Tomt Thoresen músico conhecido por ser o vocalista da banda de black metal sinfónico Dimmu Borgir.

Os temas são sempre despretensiosos e trazem-nos mensagens de como podemos apreciar o momento presente e sermos espontâneos.

O início que nos remete ao estilo flamenco de “Return from the wastelands” é uma abordagem interessante “So fragile” abre de seguida com um som pesado e melódico numa ode em tom sujo e atrevido a uma jovem e seus encantos.

Na faixa três “Walk away in shame” tiveram outra abordagem musical com a participação da cantora popsueca Miss Silia. No entanto não perdeu a essência rock, continuando presente o som característico dos Chrome Division, numa faixa hard rock melódica.

“Staying until theend” tem acordes de guitarra sólidos, algumas das tonalidades levam-nos a sons de AC/DC, Kiss e porque não Motohead. Na faixa seguinte ”This one is Wild” sente-se a criança selvagem “de W.A.S.P., tem um solo de guitarra excelente e a música sempre a abrir leva-nos a “One last Ride” com reminiscências ao passado e agradecendo aos fãs todo o apoio e saudando os membros mais antigos da banda, como se estivessem em palco a dirigirem-se à audiência.

“We drink” tem um trabalho impressionante de guitarras, melodia que entra no ouvido e uma letra bastante simples. A terminar “Towards the Unknown” que até é bastante apropriado. A música acompanha a saída dos membros em direcção ao incógnito ou “wasteland” com o narrador a confirmar esse paradigma, interrompendo-se a lenta procissão com o som do escape de moto.

Na edição especial do álbum, pode encontrar uma versão espanhola de “I’m On Fire Tonight”, isto porque Eddie Guz, o vocalista é do Chile e é intenção de mostrar verdadeiro apreço pelos fãs da América do sul.

Um bom rock ‘n’ rol do início ao fim, com riffs de guitarra, solos suaves, voz excelente e melodias cativantes tudo ao estilo dos anos 80.

Pontuação: 8/10

Por: Paula Pedroso

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.