Godark

Entrevista Godark

Por: Miguel Ribeiro

Hintf: Para começar, falem-nos um pouco do historial da banda, do vosso percurso até   formarem os Godark , como é que tudo começou?

A banda começou em 2010. Na altura, era uma brincadeira. O Fary (bateria), Diogo (guitarra) e Vitor (voz) juntaram-se porque queriam passar bons momentos aos sábados a tarde, então decidiram criar os Godark. Simultaneamente juntou-se o Daniel (baixo). Era aquela cena de “garagem”, sem preocupações, em que o fundamental era a diversão. Não existia sequer um género musical definido. A banda juntou-se em Fev/2010 e em Maio já estava a fazer um primeiro concerto, com uma selecção de covers desde o rock ao metal. Mais tarde, convidamos o Carlos Ferreira para entrar como guitarrista e teclista. Foi um marco importante, que ajudou a consolidar a banda no metal, assim como uma maior preocupação na criação de originais, levar a banda mais a sério, e ter acima de tudo uma identidade como banda. Percebemos que gostávamos todos do death metal melódico, e pronto, pouco a pouco fomos por esse caminho. Mais tarde, em 2014 por questões pessoais tanto o Diogo Ferreira como o Carlos Ferreira tiveram de sair, e aí começa uma fase bastante atribulada para a banda. Precisávamos encontrar 2 guitarristas para poder dar continuidade ao projecto. Após uma longa procura, fomos encontra-los bem perto – o Rui Ferreira e o Carlos Dias, que assim entraram. Nessa altura tínhamos assinado contrato com uma editora, tínhamos bastante pressão para fazer o lançamento de um EP. E assim foi. Num curto espaço de tempo fizeram-se as músicas e foi feita a gravação, feita por nós literalmente, na nossa sala. Nasceu assim o “Reborn from chaos”. Mais tarde, em 2016, o Carlos Dias teve de sair da banda, e iniciamos novo processo de procura. E inesperadamente, fomos buscar novamente o Diogo Ferreira, que volta a fazer parte do projecto do qual foi co-fundador. E desde então tem sido esse o alinhamento da banda.

Hintf: Podem explicar-nos o significado do nome Godark?  

Toda a gente nos pergunta o significado de Godark. A verdade é que não tem nenhum significado concreto. É um nome que nos soava bem. Foi uma decisão encontrar um nome para a banda. Mas existem sites na internet que ajudam esse processo. E foi o que aconteceu. Escrevíamos umas palavras e aquilo dava sugestões. Uma delas era Godevil e outra era qualquer coisa com Dark. E juntamos God com Dark, ficando Godark. Achamos piada, até soava, era simples. E pronto. Somos abstractos, damos a cada pessoa a liberdade para interpretar à sua maneira…

Hintf: Como vêem o actual panorama musical em Portugal? Quais sentem ser as vossas maiores dificuldades em mostrar o vosso trabalho?

Infelizmente o panorama musical em Portugal é pouco favorável ao metal. São poucos os apoios que existem para as bandas, que vão-se aguentando pelo por sacrifício e esforço, aliados ao gosto por aquilo que fazem. Existem no entanto pessoas, que pelo gosto que têm pelo metal, vão fazendo um trabalho fantástico na divulgação da música que cá se faz. Temos sentido alguma dificuldade em levar a nossa música para o Sul, esperemos que em breve seja diferente…

Hintf: Quais as principais diferenças entre o momento actual da banda e quando os Godark começaram?

Tudo é diferente…. Aquilo que era uma brincadeira, agora não é, existem responsabilidades, objectivos. Claro que mantemos o gosto e diversão no que fazemos, mas o contexto é outro. Há que trabalhar, há que fazer a banda crescer cada vez mais. Se nos perguntassem há uns anos atrás se após 8 anos iríamos continuar com a banda, provavelmente não acreditaríamos, nem imaginávamos ter evoluído conforme evoluímos, passando por tudo o que passamos até agora, tendo finalmente encontrado a nossa identidade como banda.

Hintf: Para quando um album?

Para muito breve, vamos começar agora a gravação do mesmo… Fiquem atentos…

Hintf: E uma editora está nos vossos horizontes num futuro próximo?

Já tivemos uma experiência com uma editora, foi bom porque ajudou-nos a crescer e a ganharmos uma certa maturidade nesta área. Após uma reflexão decidimos continuar sozinhos. Mas claro, uma editora está nos nossos horizontes num futuro próximo, em função da colaboração mútua que podemos ter.

Hintf: Como está a vossa agenda?

Neste momento como vamos iniciar as gravações do álbum, não estamos preocupados em termos de agenda. Vamos sim preparar uma agenda para fazer a divulgação do mesmo, mas posteriormente as datas serão divulgadas .

Hintf: Que bandas/artistas mais vos inspiram?

Não queremos ser iguais a ninguém , queremos ser nós. Mas claro que nos inspiramos em algumas bandas do mesmo género, nomeadamente Amon Amarth, Dark Tranquillity, Arch Enemy, Insomnium…. e outras ….

Hintf: Porque escolheram o Melodic Death Metal?  

A escolha foi simples. Todos gostávamos deste género de música, porque gostamos de melodia simultaneamente com partes “pesadas”, com guturais rasgados…. todos gostávamos daquelas bandas que nos inspiram… E percebemos que era um género que em Portugal não era muito comum. Existem poucas mas boas bandas de death metal melódico no nosso país. E queriamos fazer um pouco a diferença, pelo que escolhemos este caminho, cada vez mais convictos da nossa decisão.        

Hintf: Deixem uma mensagem aos leitores da Hintf e aos vossos fãs…

Em primeiro, agradecer o facto de lerem a entrevista até este ponto…. Para quem não nos conhece e queira seguir o nosso trabalho, pode fazê-lo seguindo a nossa página no Facebook, parece que não, mas é importante para nós, sendo a forma mais fácil de contacto com as pessoas. Avisar para aguardarem o nosso álbum, que promete!! E como não podia deixar de ser, um agradecimento a todas aquelas pessoas com quem noa temos cruzado, que nos têm apoiado, ajudando-nos a acreditar cada vez mais neste nosso projeto. E por último, não menos importante , um agradecimento à Hintf por se terem lembrado de nós!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.