Secret Chord

Entrevista Secret Chord

Por: Miguel Ribeiro

Hintf: Para começar, falem-nos um pouco do historial da banda, como tudo começou…

SC: Tudo começou quando o nosso baixista EkiD questionou o nosso ex-guitarrista (e também fundador), Jorge Oliveira, sobre o porquê de não se gravarem uns temas já compostos de um projecto anterior… A ideia ficou no ar e decidiram convidar a nossa vocalista, Raquel Subtil, que já conheciam de outros projectos musicais, e também o nosso baterista, Afonso Martins, a quem o Jorge tinha leccionado bateria,para iniciarem esta jornada. Começámos a ensaiar e a dar mais relevo à possível ideia de tornar o nosso género de metal sinfónico. O João surgiu uns meses antes de começarmos as gravações do nosso EP “Dimensions of Dream”, como guitarra solo.Por motivos profissionais, o Jorge teve de abandonar o projecto e entrou Carlos Pereira para o seu lugar, em julho de 2017. Desde abril desse ano, altura em que fizemos o lançamento do nosso EP, até aos dias que correm, temos vindo a mostrar aquilo que é o nosso som, aquilo que queremos que seja o nosso caminho e, porque não queremos parar e sim continuar a fazer o que gostamos, está a começar a ser desenvolvido um álbum para breve…

Hintf: Podem explicar-nos o significado do nome Secret Chord?

SC: O nome foi uma tarefa complicada… mas não é fácil para ninguém, ahaha!Começámos por fazer uma lista com vários nomes… Secret Chord surgiu da junção das duas palavras, basicamente. Não tem um significado específico mas, com o tempo, acabou por ganhar sentido e se encaixar no nosso estilo: somos aquele acorde secreto no underground, isto é, queremos marcar a diferença com o nosso som, queremos chegar a todo o tipo de ouvintes, queremos fazer-nos ouvir em todo o lado do mundo… e devagarinho, passo a passo, grão a grão, esperamos chegar bem longe!

Hintf: Como definem o vosso som?

SC: O nosso EP “Dimensions of a Dream” é maioritariamente na base do género de metal sinfónico mas temos vindo a tentar diversificar um pouco com os temas novos que estamos a construir para o nosso futuro álbum. As nossas músicas são construídas pelas várias influências dos elementos da banda, todos ouvimos géneros de música diferentes, desde o Power, Melodic Death, Groove, Alternative Metal, entre outros.

Hintf: Muitas mudanças de formação?

SC: Só tivemos uma mudança de formação em julho do ano passado com a saída de Jorge Oliveira e a entrada de Carlos Pereira, como já tínhamos mencionado na primeira pergunta.

Hintf: Como vêem o atual panorama musical em Portugal?

Em geral, tanto em festivais de pequena como de média dimensão, tens várias opções para assistir ao concerto das tuas bandas favoritas (não tanto como no estrangeiro mas tens). Há imensas salas e bares que te proporcionam o mínimo de condições para dares um bom concerto.No entanto, no nosso caso em específico, somos uma banda que consegue chegar a vários tipos de ouvintes e, por isso, pode-nos condicionar a nível de convites para concertos de grande dimensão, em palcos grandes, em grandes festivais. O motivo?Não é o que hoje em dia se ouve no underground. É da nossa opinião que a voz influência bastante esta vertente. Hoje em dia, a questão entre ser uma banda com voz growl e uma banda com voz cantada influência bastante a decisão daqueles que organizam estes tipo de eventos de maior dimensão. É um processo que temos vindo a tentar minimizar, tocando junto de bandas de estilos bastantes diferentes do nosso, para podermos chegar aos fãs dessas bandas e mostrar que estamos por cá e que queremos marcar a diferença.

Hintf: Em novembro de 2017, venceram a primeira edição do concurso de bandas da ASMUSITEC, o que mudou desde aí?

SC: Bem… O prémio permitiu-nos experienciar, pela primeira vez, como é gravarum videoclip. Foi uma experiência que, apesar de dar muito trabalho e ser um processo cansativo, é muito gratificante! A gravação deste videoclip foi para um novo tema chamado “Wraith of Oblivion” (lançado no passado dia 8 de setembro),que fará parte do nosso futuro álbum. Voltámos a estúdio para fazer a gravação deste tema e, graças ao mesmo, temos aumentado significativamente a nossa popularidade e temos vindo a chegar junto de novos fãs que, através dele, ficaram a conhecer Secret Chord.

Hintf: Qual foi a sensação de partilhar palco com nomes inconfundíveis da  cena nacional como Switchtense, Midnight Priest, Terror Empire, 11th Dimension, Inner Blast ou Waterland?

SC: É sempre bom partilhar palco com bandas nacionais: fazem-se novas amizades,trocam-se ideias e o convívio é sempre bom… É importante para nós tocar junto de bandas nacionais pois assim podemos chegar perto dos seus fãs que podem, ou não,gostar da nossa música.Em regra, ao longo dos concertos que temos vindo a realizar junto de outras bandas, nós somos a carta fora do baralho, isto é, a banda diferente da noite. É bom para nós e é esse o nosso objectivo como já mencionámos: fazer a diferença.

Hintf: Como está a vossa agenda?

SC: Este ano foi muito bom para nós! Realizámos bastantes concertos em diversos pontos do país e temos já alguns apalavrados para o próximo ano. Poderíamos ter tido mais alguns na agenda de 2018 mas algumas condições não são tão adequadas,por diversos motivos, e por isso recusámos alguns.Ainda para este ano, vamos estar, juntamente com Dark Oath, no lançamento do novo álbum de Moonshade, no Metalpoint (Porto) no dia 22 de dezembro. Fica desde já o convite para aparecerem!

Hintf: Que artistas mais vos inspiram?

SC: Além das bandas que normalmente se podem considerar óbvias, pela referência musical, como Epica, Nightwish, Kamelot, Sirenia, entre outros, também acabamos por nos inspirar pelas referências musicais que cada um ouve, como SepticFlesh,Cradle of Filth, Opeth, Dream Theather, Amaranthe, Moonspell, Gojira, entreoutros.  

Hintf: Deixem uma mensagem aos leitores da Hintf e aos vossos fãs…

 SC: Não deixem de apoiar a cena nacional. Apareçam nos concertos, conheçam a malta… é sempre gratificante conhecer quem nos segue e gosta do nosso som. De resto, visitem a nossa página, vejam o nosso novo videoclip do tema “Wraith of Oblivion” e apareçam no dia 22/12 no Metalpoint para o lançamento do novo álbum de Moonshade! Obrigado ao Miguel Ribeiro pela entrevista (sigam a Hintf!),muito obrigado a todos por todo o apoio e… vemo-nos por aí!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.