Nine O Nine

Banda: Nine O Nine

Titulo: The Time Is Now

Editora: Raising Legends

Data de Lançamento: 17.Fevereiro.2018

NINE O NINE (abreviado como NON e numerado como 909) é uma banda portuguesa de metal/rock de Lisboa, Portugal.

Recentemente fundada em 2017 pelo guitarrista Tó Pica, a banda é composta por quatro membros com uma extensa carreira e experiência musical com outras bandas a nível nacional e internacional: Tó Pica – Guitarra (R.A.M.P., Anti-Clockwise, Secret Lie, Sacred Sin), Arlindo Cardoso – Bateria (Low Torque, Icon & The Black Roses, WAKO), Sérgio Duarte – Voz e Baixo (Sérgio & Animais, RCA, Hibryd Park, Alice in Chains) e Gonçalo Agostinho – Guitarra (PunkSinatra, Eagles Become Vultures)

“Uma banda em progresso com o objectivo de quebrar fronteiras musicalmente, geograficamente e dar o compromisso com seus seguidores já existentes.”.

Ouvindo o álbum lançado a 17 de Fevereiro deste ano, verifica-se realmente que estamos perante um projecto que almeja transpor as barreiras geográficas e alcançar um público mais abrangente sem perder qualquer cunho do rock/metal.

“The Time is Now” é a música que dá abertura ao álbum e serve, um pouco, como que uma abertura para o resto do projecto. Uma melodia exuberante que cria uma sensação flutuante sobre os momentos iniciais do álbum. Todo o álbum ressuscita a Gestalt emocional. Uma voz melódica, repleta de sentimento, com eco e poderosa. Guitarras bem presentes com riffs que colam na memória.

“The Way Back Home” continua a percorrer este caminho de sentimento, voz poderosa com sensação de aperto, tensão e força. No final voz bem puxada, forte e sempre acompanhada pela guitarra de Tó Pica e Gonçalo Agostinho.

“Beauty Femme” segue-se, bem harmoniosa, calma com o igual registo de voz (melódica) por vezes rasgada e possante.

Continuamos nesse percurso com “Never Let Me Down”, “Aquiliam” e “King”, músicas sonantes com guitarras bem sublinhadas até chegarmos à “The Rush”. Esta faixa é claramente a mais possante do álbum, bem rasgada com riffs marcantes e guitarras pesadas, bem podia classificar “The Rush” como um Thrash..

“Big Event” destaca-se pelo seu solo de guitarra bem elaborado. Para terminar, “Sofia”, desperta sentimentos como que em busca da felicidade e sentido de destino..

Todo este álbum, penso ter a máxima de “follow your heart” quer a nível pessoal emocional como de viver a vida. Penso ser essa a mensagem.

É difícil classificar este álbum num qualquer rótulo musical. É rock, é metal. Tem um equilíbrio entre o rock e o metal. Fala-nos ao coração, é sentido, é único e descreve bem a mensagem que a banda nos quer transmitir: façam o que sentem; Sigam o coração.

Não é de admirar, pois sendo os elementos da banda com carreira e experiencia musical de longa data, mais amadurecidos, chegam a um momento em que a máxima só poderia ser essa. E seguir o coração é procurar a felicidade.

Excelente álbum!

Pontuação: 8,9/10

Por: Maria João Tavares

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*