Heilung  

Entrevista Heilung  

Por: Maria João Tavares

Hintf: Falem-me um pouco sobre vocês três. Como se conheceram?

Conhecemo-nos no início do ano 2000, num meeting de reencenação Viking, onde pessoas de todo o mundo se reúnem e reconstroem artesanatos da Era do ferro como tecelagem, armamento, material de construção e claro música. Christopher e Maria conheceram-se de passagem em adolescentes mas depois conheceram-se realmente numa reunião islandesa em 2006. Kai conheceu-os durante um evento norueguês. O mais engraçado é que Kai tatuou o pai de Christopher antes dele e Christopher realmente se conhecerem. Há uma grande quantidade de arqueologia experimental envolvida nesta subcultura, esse elemento também é tecido no aparecimento de Heilung. Por natureza, estamos interessados ​​em perguntas como: Como se sentiu naquele momento? Como saboreou aquele momento? Como soava no momento?No início de 2014, começámos inocentemente a tocar para gravar este projecto ainda sem nome. Originalmente, Kai só queria gravar alguns dos seus poemas e o plano era fazer uma tatuagem a Christopher se este o produzisse. Christopher ainda não tem uma única tatuagem, mas com todo o tempo de gravação e rearranjo investido é igual a várias tatuagens de corpo inteiro.

Hintf: Como surgiu o interesse de voltar à Era da Idade do Ferro e tentar descrever esse ambiente com música experimental?

O interesse pelas culturas europeias pré-cristãs ocorreu muito cedo em nós três. Maria cresceu em Borre, nos montes na Noruega, que tem enterros desde a idade do bronze à idade do ferro. Ela brincava nesses montes quando era criança, um par de metros acima das campas onde os seus antepassados ​​descansavam. O pai de Christopher é, além de músico, um sacerdote pagão oficialmente designado por (Godi) que tem direito a realizar casamentos. Assim, a cultura tradicional escandinava e a sua expressão moderna eram uma parte regular na educação de Christopher. Kai, embora criado estritamente cristão, também brincou em criança nos círculos de pedra e nos arredores dos fortes das colinas celtas na floresta da sua terra, a Alemanha. Crescendo sem televisão, os livros desempenharam um papel importante, e antes de poderem ler, as imagens tatuadas em múmias e em antigos artefactos nórdicos pagãos, já estavam impressas na mente de Kai desde sempre. Como mencionado anteriormente, acabámos muito cedo num ambiente, que, consequentemente, trabalhou para tornar possível a experiência da era viking, até ao último detalhe, como especiarias e os pontos que se usavam para coser e reconstruir a roupa. Logicamente, Kai começou a construir tambores, Chris construiu sua lira a partir do próprio tronco de uma árvore e Maria pode costurar sozinha a sua roupa para os concertos. Também não é realmente surpreendente, somos capazes de conectar o nosso cérebro e o nosso coração para fazer a música que sempre quisemos ouvir.

Hintf: Como podem descrever a música Heilung?

Heilung tem múltiplas camadas; acústica, óptica, espiritual, electrónica e assim por diante.Se isolarmos a parte audível, é muito escura e repetitiva. Inexistentes e únicas são as palavras que são regularmente lançadas na nossa direcção.Usamos instrumentos tradicionais, alguns deles são construídos por nós próprios e os tambores auto fabricados têm status de talismã. Nós consideramo-los vivos. O grande tambor central é chamado Blot e é o portador de um sacrifício de sangue humano dado por nós três a Heilung.Todo o som de Heilung é tocado na realidade. Talvez amplificado electronicamente ou melhorado mais tarde no processo, mas nunca criado electronicamente.Os sons da natureza são gravados no local, uma vez que a Natureza é a única estrela verdadeira aqui.

Hintf: De onde vem esse conhecimento sobre os Viking, sobre o nórdico, o simbolismo e o som vindo de todas as partes do mundo?

O conhecimento vem dos longos anos de Reenactment, que envolve sempre pesquisas muito intensas construídas em torno de uma excelente network. As conexões Heilungs são densamente tecidas em toda a Escandinávia e Europa, mas também se estende no mundo inteiro. Das últimas ferretearias tradicionais na Alemanha às universidades do alto norte, desde livros antigos impressos à mão até a última conversa do TED na internet, os canais chegam para alimentar as letras, os sons e a inspiração para o álbum Heilung. Kai também é o encarregado de uma das maiores bibliotecas da Escandinávia sobre tatuagens e artes escandinavas antigas.Porque fazemos o que amamos e amamos o que fazemos, o conhecimento é muito fácil. Não precisamos forçá-lo a entrar no nosso cérebro, como muitas pessoas, que precisam aprender algo em que não estão realmente interessadas. Por fim, também há o vento, que diz o que os nossos inimigos pensam acerca de nós, e o mar, que sussurra histórias infinitas 🙂

Hintf: As vossas letras são textos transcritos de runas de pedra e artefactos. A música é feita com sons naturais como por exemplo, água a escorrer pelos ossos. Qual o propósito que estão a tentar recriar para aqueles que escutam a música?

Heilung tenta conectar o ouvinte com os tempos antigos, antes do cristianismo e as cadeias mentais que traz. Queremos abrir uma porta nas mentes das pessoas que às vezes têm o sinal de “não entrar”. Queremos que as pessoas alcancem um nível de meditação ou transe, onde se voltem a conectar com elas próprias novamente. A porta para se desenvolver o nosso melhor, e alcançar o “eu” livre aprimorado, forte e saudável, é o que queremos abrir no ouvinte.Heilung é um sacrifício sadio, uma saudação e uma homenagem aos mundos invisíveis e aos seus seres que estão entrelaçados com a nossa realidade; a abordagem clássica xamânica para trazer harmonia para tudo o que existe.

Hintf: Como as pessoas reagem à banda quando a vêem ao vivo?

Já vimos uma grande variedade de reacções. Tudo, desde pessoas que estão de pé com os olhos fechados e REM para a dança extática, outros simplesmente balançam suavemente, segurando sensualmente o amado. Diferentes sons de animais são ouvidos na audiência e também gritos de batalha. As pessoas sopram cornos de som e saúdam os espíritos na sua própria língua. A dança do grande círculo na Noruega foi uma ocorrência fascinante. Nós percebemos o público como um grande ser que se funde com Heilung durante a performance ritual, como auxiliares da banda e dos sons, é um momento difícil de descrever e muito forte para alguns.

Hintf: Seria mais apropriado chamar os vossos concertos de rituais, em vez de concertos reais?

Sim. Não deveria ser chamado de rituais, eles são rituais. A performance possui todas as marcas de rituais antigos. Começamos com um círculo de protecção e oferta de incenso. Os espíritos são convidados a participar no palco antes do primeiro golpe no tambor. Eles estão presentes durante toda a performance, fazem parte dela, ouvem e soam através de nós, da antiguidade. As últimas palavras que são cantadas são a sua libertação e selar o espaço ritual. É por isso que nunca há um número extra. A cerimónia termina depois disso. A energia e as entidades já desvaneceram.

Hintf: Quais são os próximos passos para Heilung?

Estamos muito felizes em estar com a Season of Mist e realmente gostamos de como o projecto desenrolou após esta fusão. Continuaremos a andar nesta onda que nos vai levar por todo o mundo pelos vistos. No futuro próximo, vamos realizar neste verão festivais na Dinamarca, Alemanha, França e Roménia.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*