Spiralist

Banda: Spiralist

Titulo: “Nihilus”

Editora: Microfome

Data de Lançamento: 04.Maio.2018

Já há algum tempo que se sabe – e até mesmo os mais distraídos vão tendo já esta noção, que o nosso pequeno jardim à beira-mar plantado é solo fértil na produção e proliferação de projetos artísticos variados em quantidade e qualidade e no que à música diz respeito esta, afirma quem escreve, é uma inegável constatação. Nesta primeira Arte, surgem a um ritmo frenético uma vasta panóplia de projetos musicais, individuais ou coletivos, editoras, promotoras e afins que lhes seja inerente; e serve esta pequena reflexão para falarmos então de Spiralist.

Spiralist nasce da vontade e da necessidade de criação afirmada de seu mentor Bruno Costa, músico experiente que com projetos anteriores como Blackbird Prophet ou Kymera, experienciou a musicalidade nacional e sob esta designação nos traz então o seu registo de estreia, o álbum “Nihilist”.

A ser editado pela também nacional e nortenha Megafome, em formato físico e digital, no próximo dia 4 de Maio, o estreante “Nihilist” assume uma componente catártica das experiências pessoais de seu criador e encerra ao longo das 5 faixas que o compõem uma visão muito própria e um total descompromisso aos limites artísticos, abraçando o mote ‘DIY (Do It Yourself) ‘.

Musicalmente intenso e carregado de sofrimento que se vai libertando pela interpretação vocal, “Nihilist” é uma experiência auditiva dura e agressiva que nos provoca um misto de sensações mais ternas e tendencialmente condescendentes se atentarmos no propósito inicial da criação e desenvolvimento deste disco. Com uma linha de baixo grave e enclausurante, abre espaços amiúde a que os riffs de guitarra nos rasguem a alma fragilizada e por força da compassada secção de percussão sentimos o aperto da camisa-de-forças que se tenta soltar ante cada linha poética, cada refrão arrancado do âmago desta angústia.

‘Nihilus’ enquanto tema de abertura foi já oficialmente apresentado ao público no passado dia 19 de Janeiro e é o perfeito exemplo da espiral de emoções rítmicas que ora se expandem ora se fecham, enaltecendo a maleabilidade criativa de Spiralist. Ainda como futura referência o tema ‘Black Hole Man’, um vórtice sugador da energia negativa absorvida e catapultada de novo ao ouvinte com brilhos sonoros que ofuscam sem encadear e permitem iluminar um pouco do caminho que se abre aos nossos ouvidos.

Pontuação:  8,8/10

Por: Paula Antunes

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*