Infection Code

Banda: Infection Code

Titulo: “Dissenso”

Editora: Argonauta Records

Data de Lançamento: 02.Março.2018

Praticantes inicialmente das sonoridades musicais de thrash metal/industrial, os italianos Infection Code estão de volta aos discos e lançam já no próximo dia 02 de Março pela sua atual casa, a Argonauta Records, “Dissenso”.

“Dissenso” é o 6º álbum de originais dos pioneiros do noisecore, e este disco resume bem a sua atual investida por ritmos e sons mais extremistas no espectro industrial e noisecore, promovendo ao longo das 8 faixas que o compõem, uns dissonantes e distorcidos 43 minutos.

‘Santa Mattanza’, o tema de abertura deste álbum, é também já o vídeo oficial que permite um breve vislumbrar do que os Infection Code andaram a compor e produzir ao longo destes últimos 3 anos.

Não se fazendo rogados ao legado musical que nos vão deixando, mantém as suas características experimentalistas na área do jazz e do psicadelismo eletrónico, exponenciando este experimentalismo ao máximo com sons e ritmos que nos perfuram a mente como se fôssemos sujeitos a uma lobotomia auditiva que nos remete a memórias de inícios de carreira de icónicos industrialistas Ministry ou mais modernos e homogéneos Godflesh, bandas estas assumidamente influentes para o processo criativo de Infection Code.

“Dissenso” é uma fornalha de brasas arrefecidas que teimam em crepitar e com fagulhas mais atrevidas (‘Macerie’) que irrompem sem aviso prévio; a dissonante distorção é uma constante e paradoxalmente estrutura e suporta a espinha dorsal melódica deste trabalho; sem esta distorção há vazio e sem esta dissonância não se consegue a liga de acordes entre os riffs curtos e os samplers esticados ao limite do audível, conduzidos pela interpretação vocal de Gabriele Oltracqua, maestro que faz da voz a sua batuta.

“Dissenso” é daqueles álbuns que se ouvem com uma certa dificuldade mas que se entranha ao de leve e nos faz voltar a tocá-lo, só para tirar teimas ou simplesmente, desfrutar.

Pontuação:  7,2/10

Por: Paula Antunes

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*