Dr. Living Dead!

Banda: Dr. Living Dead!

Titulo: “Cosmic Conqueror”

Editora: Century Media Records

Data de Lançamento: 27.Outubro.2017

Suecos de origem e mais concretamente sediados em Estocolmo, a sonoridade que se apraz ouvir do coletivo formado em 2007 e que dá pelo já icónico nome de Dr. Living Dead! é tudo menos fria e muito pelo contrário, bastante quente e incendiária no sentido metafórico de provocar rápidas e duradouras explosões de energia aos seus ouvintes e seguidores.

Contam atualmente com 2 Demos, 1 EP e 4 álbuns na sua discografia, entre inúmeras atuações ao vivo e 2 delas já efetuadas nos palcos portugueses, em que elevaram ainda mais o estandarte e a fasquia de reconhecimento de alguns dos mais concorridos festivais do nosso underground.

Desta feita, cumpre-se a árdua tarefa de analisar o disco em escuta, o seu 4º álbum “Cosmic Conqueror” que detém o selo da internacional Century Media Records, lançado em Outubro do ano transato e esta tarefa é árdua no sentido de que pouco mais se pode acrescentar ao que se ouve; uma autêntica explosão de ritmos, que nos deixam em frenesim musical desde os seus segundos iniciais com ‘Coffin Crusher’ e que se sucedem incansavelmente pelas 11 faixas inclusas, crepitando a velocidades estonteantes com ‘Disease To Exist’, numa perfeita mistura do thrash da velha escola de Slayer com o crossover atual e porque não de uns Booby Trap (Aveirenses, que já cá andam há mais tempo!).

Rapidez ou velocidade são as palavras mais pertinentes para caracterizar este disco, “Cosmic Conqueror” que foi também rapidamente conseguido ao longo de apenas 10 dias (segundo reza a informação veiculada para a Imprensa) e nem por isso os detalhes foram descurados. A precisão rítmica e sintonia entre os Drs. dos Dr. Living Dead! é cabal e o gozo que cada um tira da sua execução é latente nesta peça,  encerrando-se estes 41 minutos de conquista cósmica a total satisfação dos músicos para deleite dos ouvintes.

Aviso: é um álbum viciante que se quer ouvido repetidas vezes, com o volume bem alto e uma boa forma de exercitar o corpo e praticar futuros moshes e circle pits!

Pontuação: 8,2 /10

Por: Paula Antunes

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*