Grimner

Entrevista Grimner (Johan Rydberg, Flautas, bandolim, Gaitas // Ted Sjulmark, Guitarra principal, Voz)

Por: Lígia Ferreira

Hintf: Obrigada por responderem a esta entrevista! O que  podem nos contar sobre a história da banda? Como tudo começou?

T: Obrigado, o prazer é nosso. Bem, tudo começou comigo e com  Henry (bateria) em 2008,  na nossa cidade natal, Motala. Nós tocavamos juntos numa banda diferente, de death metal mais melódico. Henry e eu sentimos que queríamos fazer algo diferente, cantar sobre a história viking e a mitologia nórdica, tocar folk  metal. Então  separamo-nos  dos outros e formamos os Grimner.

Hintf: Contem-nos sobre o vosso novo álbum Vanadrottning, que será lançado a 9 de fevereiro

J: Comparado com o nosso álbum anterior, Frost Mot Eld, este álbum não é um álbum conceitual, mas consiste de músicas individuais com  sensação e som próprios. Nós ficamos muito felizes com o som em Frost Mot Eld, mas para este álbum, queríamos tocar um pouco mais pesado e mais dark mas manter o som melódico que desenvolvemos durante Frost mot Eld.

Hintf: Cumpriu as vossas expectativas?

J: Mesmo que tenhamos planeado muito mais este álbum, ainda acabou por ser um trabalho árduo. Dito isto, estamos extremamente satisfeitos com os resultados. Tudo o que podemos esperar é que nossos fãs o apreciem tanto quanto nós.

Hintf: Gostariam de falar sobre alguns dos temas de que fala o álbum?

J: Como dissemos anteriormente, as músicas deste álbum têm seu próprio som e sensação. Liricamente, as músicas são, como sempre, sobre mitologia nórdica e eventos históricos que aconteceram durante a era viking. Mas também mergulhamos no folclore com a música “Kvällningssång”.

T: De facto, e eu também gostaria de acrescentar que, uma vez que Vanadrottning não é um álbum conceitual como o seu antecessor, tem sido uma alegria escrever sobre muitos contos e eventos sobre que queriamos escrever há algum tempo, sem ser limitado por um tema no álbum inteiro. O nosso primeiro single (En Fallen Jätte), por exemplo, é sobre a batalha entre Thor, o Deus do trovão e o gigante Hrungner, enquanto o mencionado “Kvällningssång” gira em torno de fadas do folclore escandinavo. Em suma, foi muito divertido escrever as letras.

Hintf: Vocês têm uma música favorita no álbum?

J: Essa é uma pergunta muito difícil. Eu não acho que possa escolher uma única música. Mas provavelmente é Kvällningssång, Ägers Salar ou Sången om Grimner.

T: Eu provavelmente teria que dizer o En Fallen Jätte ou a faixa do título. Principalmente a faixa do título, eu acho, eu  gosto das músicas de ritmo rápido!

Hintf: Manegarm vai tocar na festa de lançamento do vosso álbum, vai ser uma  festa de arromba, não? Faz parte da celebração do 10º aniversário da banda … o que os fãs podem esperar?

J: Nós esperamos que seja uma grande festa! Para a festa de lançamento, esperamos que todos os que participem tenham uma ótima noite. E para o aniversário de 10 anos, estamos a planear mais concertos do que nunca. Também visitaremos muitos países em que nunca tocamos antes.

T: Sim, a festa de lançamento vai ser de arromba! É garantido que as pessoas ficarão satisfeitas com a noite.

Hintf: Como foi a vossa evolução como  banda ao longo desta década?

T: Eu diria que amadurecemos muito como músicos, todos nós. Olhando para trás em tudo, eramos bastante ignorantes no começo, e demorou muito tempo para encontrar o nosso som e estilo. Embora, mesmo que sintamos que chegamos muito longe, posso garantir que continuaremos a evoluir ao mesmo ritmo.

Hintf: Vocês têm muitos momentos inesquecíveis?

J: Para mim, provavelmente, quando tivemos que abrir para Korpiklaani nos seus concertos gigantes escandinavos. Foi quando comecei a sentir que coisas maiores estavam no horizonte. Também encerrar o festival Sabaton Open Air , ao tocar logo após Sabaton este ano.

T: Concordo absolutamente! Não poderia ter dito melhor.

Hintf: E algumas histórias engraçadas / interessantes para contar sobre actuações ao vivo?

J: Bem, uma vez num show local muito pequeno, o palco era muito pequeno e eu tropecei e cai  em cima da bateria.

T: Haha, bons tempos! Eu acho que essa é uma das poucas histórias engraçadas que temos do palco, as coisas geralmente funcionam sem problemas quando tocamos ao vivo. E não me interpretem mal, eu apenas quero dizer “engraçado” no sentido de cometer erros, porque sempre nos divertimos quando tocamos!

Hintf: Podemos esperar- vos aqui em Portugal  num futuro próximo?

J: Bem, de momento não. Dito isto, gostaríamos de tocar aí. Nós sempre adoramos tocar em novos lugares.

Hintf:  Gostariam de deixar uma mensagem aos nossos leitores?

J:  Obrigado a todos  que nos apoiam. Vocês são incríveis!

Realmente espero que vocês gostem  do nosso novo álbum!

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*