Night Viper

Entrevista Night Viper

Por: Paula Antunes

Hintf: Falem um pouco da história menos conhecida dos Night Viper e o porquê da escolha deste nome para a banda?

Eu (Sofie Lee) e o Tom conhecemo-nos na sala underground Truckstop Alaska em Gotemburgo. Eu na altura tinha com um amigo algo de parecido com uma banda, haha, e perguntámos ao Tom se ele se queria juntar a nós. Tudo era muito vago. Esta é a minha primeira banda e o outro tipo não tinha muito tempo livre, pelo que o Tom rapidamente tomou as rédeas. A primeira canção que fizemos foi ‘Faces in the mirror’, era uma velha canção do banco de riffs do Tom. Nessa altura o outro tipo saiu e assim era só eu e o Tom. Para mim, aquela canção é ainda o núcleo duro dos Night Viper. Heavy metal com uma boa dose de hard rock e soul. Nós conhecemos a Jonna por um amigo comum (Pontus, baterista nos Horisont). Ela ainda não tinha tocado heavy metal antes mas nós instantaneamente apaixonámo-nos pelo seu estilo carismático e andamento. O nosso antigo guitarrista Emil foi o próximo da lista, também nunca o tínhamos conhecido apesar de termos vários amigos em comum. Ele também não era o típico músico de heavy metal, mas o seu estilo melódico assentava em nós na perfeição. O último da calha foi o Ruben, ele já havia estado em algumas bandas e acho que todos pensamos que isto seria temporário. Lembro-me de tirarmos as nossas primeiras fotos de banda e foi como “tu queres mesmo estar nas fotografias Ruben?”. Quando o Emil saiu por limitações de tempo dado que já estava antes em outra banda (os fantásticos mestres de folk-psych-rock Ill Wicker) ficámos num ímpasse até finalmente termos o Johan a juntar-se a nós. Na altura ele estava nos Lethal Steel e decidiu mudar-se para Gotemburgo quando foi parar a uma rave party na floresta, e recebeu uma mensagem de texto: “queres juntar-te aos Night Viper?”.

Nenhum de nós conhecia o Johan particularmente bem, mas ele é da família desde o primeiro dia em que se juntou a nós.

O nome veio de uma explosão de ideias, eu acho. Nós escolhemos entre Night Viper e Night Screamer, mas achámos que faríamos um artwork mais engraçado com o nome de Night Viper.

Hintf: Estão ativos apenas desde 2014 mas no entanto já com dois álbuns lançados; onde vão buscar tanta energia e ideias musicais para os vossos discos?

O Tom vai à máquina do café, hahaha! Eu nunca vi ninguém tão movido a café como este homem. Para a energia geral, eu penso que é a atmosfera que se vive na banda. Somos muito bons amigos e ridiculamente todos passamos bons momentos quando estamos juntos. Se tive um dia de trampa ao vir do trabalho para o ensaio da banda, são precisos apenas 10 minutos com estes rapazes até me estar a rir novamente.

Musicalmente, tudo começa com um riff. Ate aqui, tem sido o Tom e o Ruben a escrever as canções. Ambos têm um sólido e bom histórico de metal, pelo que são peritos nos riffs. Eu faço uma demo em bruto e vou para a minha pequena caverna e faço os vocais e as letras. A minha maior influência vocal, e nunca é demais referi-la ao que parece, é a Jinx Dawson. A nível instrumental, o principal foco são os primórdios dos Metallica, algum Motörhead dos anos 90 misturado com o tradicional heavy metal e um pouco de NWOBHM, apesar dos vocais terem resquícios do pop/rock dos anos 70.

Hintf: ‘Exterminator’, o vosso mais recente disco, saiu apenas há um mês; estão satisfeitos com o resultado final? Como tem reagido a Imprensa e os vossos fãs até agora?

Nós AMAMO-LO, haha desculpem mas não desculpem por sermos imodestos! O Tom quase estava obcecado em conseguir o som de guitarra perfeito e acabou por valer a pena! Ao entrarmos no estúdio nessa altura, acho que estávamos mais concentrados do que alguma vez estivemos e realmente demos o melhor de nós. Especialmente a Jonna, aquela mulher é uma máquina e nada mais! Eu acho que todos vemos que este é um grande passo para nós e estamos muito orgulhosos disso.

O álbum tem sido muito bem recebido, quer pela Imprensa quer pelos fãs. A canção ‘Ashes’ foi até escolhida como uma das 50 melhores do ano pela radio nacional sueca, pelo que estamos aqui sentados à espera do pagamento dos nossos roialties, hahaha!

Hintf: Qual é a história principal ou ideia conceptual deste disco? Quem ou o que influenciou a sua música e a composição das letras para este disco?

Nós não trabalhamos bem sobre conceitos. Eu adoro álbuns concetuais, mas acho que isso exige uma espécie de carácter estruturado que nós enquanto banda temos em falta. Somos como um bando de cachorrinhos com a necessidade de fazer tudo o que é divertido ao mesmo tempo. Demos um cunho mais thrash e mais obscuro ao nosso disco, mas isso é mais porque fizemos a ‘Summon the Dead’ e achamos ser uma tão boa canção e divertida de tocar, que nos levou a fazer algo assim.

As letras têm uma abordagem mais feminista que antes; também amadureceram um pouco e por vezes até tem uma certa vibração maternal, haha! A influência é sempre a vida. Por vezes mais ficcional, mas sempre com um toque de realismo social.

Hintf: Se ‘Exterminator’ fosse para ser uma banda sonora de um filme, que tipo de filme seria e quem poderia ser o personagem principal?

Wow! Pergunta engraçada! Eu vejo que tem um futurista mas muito manhoso ar de ficção científica sobre um espantoso gangue de raparigas em impossíveis fatos muito fixes (semelhantes ao personagem da opera azul no 5º elemento) a lutar contra o Império do Mal. O personagem principal seria a Lotta (o nome da minha gata mais velha). Ela é o oráculo espiritual e conselheira do gangue.

Hintf: O que consideram estar mais em falta por toda a cena de metal na Europa e em todo o mundo?

Empatia e responsabilidade social. E se falas musicalmente, o som poderoso e pesado de baterias dos anos 80 ao estilo de Kim Ruzz.

Hintf: Como está a vossa agenda de concertos para o futuro próximo? Planeiam sair da Europa um destes dias?

Nada está ainda firmado, mas estamos a planear recomeçar com os concertos em Março, Abril. Vão ser provavelmente tours mais curtas e então pelo outono uma tour mais longa. Nós adorávamos sair da europa mas ao momento o foco principal é a europa e partes onde não temos tocado muito ou nunca antes.

Hintf: Se todos dos membros dos Night Viper se transformassem num só animal qual seria?

Pergunta matreira. Quero dizer, obviamente uma cobra mas essa é uma resposta fácil… Eu acho que seriamos um bando de cabras anãs africanas!

Hintf: Por fim mas não menos importante, esta linha é aberta a que nos deixem uma mensagem…

Obrigada por uma entrevista tão engraçada e divertida!) Esperamos ver-vos em breve!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*