Lamori

Entrevista Lamori

Por: Miguel Ribeiro

Hintf: Obrigado pela entrevista, a primeira coisa que notamos quando ouvimos Lamori é o som único da guitarra, mesmo sem sabermos se é ou não verdade, pensamos logo que é uma banda finlandesa. Concordam?

PELLAS (guitarra): Obrigado! Eu acho que temos um “som da Finlândia” . O metal é tão grande na Finlândia e a maioria das bandas finlandesas tem um bom som dirigido por guitarra. As guitarras pesadas também criam um bom contraste com o teclado e essa é uma grande parte do som geral.

MATIAS (voz): Eu acredito que nem pensamos em como obter esse som. Está no nosso sangue.

Hintf: Porquê o nome  Lamori? Como tudo começou e quando?

MATIAS: No início, escreviamos o nome com um apóstrofe – L’Amori. Nós lançamos o nosso primeiro álbum Deadly Desires com o nome assim escrito. Mas esse apóstrofe estava a causar alguns problemas, as pessoas  não nos encontravam em alguns serviços de streaming, o nome também era mal soletrado por algumas pessoas. Então, pensamos, que se lixe, vamos abandonar esse apóstrofe e simplesmente tornamo-lo LAMORI, mais fácil para todos.

O nome surgiu quando eu e  Pellas estavamos a  falar sobre formarmos uma banda juntos. Isso foi por volta de 2006 ou algo assim. Nós dois tocavamos na mesma banda de covers naquela época, eu na bateria e Pellas na guitarra. Jens, nosso teclista, estava nesta banda também com três de nossos outros amigos. Nós ouviamos muito bandas como HIM, The 69 Eyes, Charon, Sentenced e Lacrimas Profundere. Lacrimas tinha acabado de lançar o álbum “Filthy Notes” (que foi um bom álbum), queríamos começar uma banda e tocar o tipo de música que Lacrimas, HIM e essas outras bandas tocavam.

Então, decidimos formar a banda! Tudo o que precisávamos era de um nome que representasse esse tema de escuridão, horror, romantismo e todos esses temas góticos – ha ha! E foi aí que surgiu esse nome.

Nessa época,  era eu na guitarra e voz, Pellas na guitarra e Jens nas teclas. Mikael juntou-se a nós no baixo para um concerto acústico em 2007, ele é membro desde então. Em seguida, demoramos dois anos para encontrar um baterista. finalmente encontramos nosso baterista Sanchez no início de 2009, e demos o nosso primeiro concerto como uma banda inteira na mesma primavera.

Hintf: vocês têm um novo álbum, por favor  digam-nos as principais diferenças entre “To Die Once Again” e “Deadly desires “…

MATIAS: Na minha opinião Deadly Desires tem  uma sensação de poder cru  no som. Enquanto To Die Once Again tem uma sensação  mais polida e limpa.

Deadly Desires foi gravado durante o nosso tempo livre durante cerca de um ano num estúdio de um amigo na nossa ilha na Finlândia. Nós basicamente gravavamos algumas coisas num fim de semana e só depois no fim de semana seguinte. Mas às vezes havia semanas ou mesmo meses entre as sessões de gravação, tudo dependendo do nosso tempo livre e do nosso amigo com o estúdio. Então, nós realmente não conseguimos emergir em todo o processo criativo da mesma forma que conseguimos fazer enquanto gravamos To Die Once Again.

-Hintf: Goth / Rock / Metal Melódico, porquê?

JENS (teclas): Nós seguimos essa direcção quando começamos a banda. Tinhamos um par de demos em que começamos a trabalhar e o som tomou esse rumo.

MATIAS : tentamos muitas coisas diferentes e continuamos a evoluir o som . Essas coisas nem sempre estão dentro dos limites do gênero. É quando nós paramos e pensamos – esta é a maneira certa de seguir com o som?

JENS: quando há algo que todos nós gostamos, sabemos que estamos a ir na direção certa.

-Hintf: Como os fãs e a mídia receberam o vosso novo álbum? Quais eram as vossas expectativas para To Die Once Again?

MIKAEL (baixo): desde o lançamento de To Die Once Again, obtivemos bons comentários de toda a mídia social e tradicional.

Ainda estamos desconcertados com todos os comentários positivos sobre o álbum, o que é incrivelmente encorajador e gratificante

Hintf: como é trabalhar com a WormHoleDeath?

MATIAS: É ótimo! Eles são muito solidários. Nós temos muita ajuda deles quando se trata de espalhar a nossa música ao redor do mundo.

Há muitas bandas que fazem tudo por si mesmos nos dias de hoje. E é verdade que isso é mais fácil do que nunca nos dias de hoje. Mas só porque algo é fácil não significa que não leve muito tempo e esforço. Com uma editora a apoiar-nos, podemos colocar mais tempo e esforço para fazer as melhores músicas possíveis.

Hintf: Por favor, conte-nos mais sobre a cena musical em Mariehamn …

PELLAS: Mariehamn e The Aland Islands, é um lugar muito pequeno para refletir a cena musical aqui. Há alguns locais para tocar e algumas bandas locais. Somos amigos das outras bandas, então não existe rivalidade entre nós.

Hintf: É fácil  ter uma banda na Finlândia? É possível (Lamori) viver apenas da música?

MATIAS (vocal): Bem, esse é o sonho,  poder fazer o que amamos, fazer música e tocar juntos. É um negócio difícil se  quiseres viver apenas de fazer música. Se é possível? Sim, se  ficares grande o suficiente. Eu sinto que estamos nos movendo na direção certa.

Hintf: quais são os vossos planos para o futuro?

MIKAEL (baixo): Vai em grande ou vai para casa. Nós não fazemos coisas aleatórias, tudo tem um plano e um significado. Tentamos fazer o melhor das nossas músicas e isso também é verdade para o próximo álbum que planeamos gravar.

Toda a música precisa do seu lugar para fazer um álbum completo, e é nisso que estamos a trabalhar agora, fazer o melhor álbum que pudermos.

Um sonho para o futuro é fazer algum tipo de tour e dar concertos em diferentes locais. Para conhecer outros músicos e pessoas no negócio e  para passar um bom tempo a fazer o que amamos.

Hintf: Vocês já pensaram em vir a tocar em Portugal? O que vocês sabem sobre nós?

MATIAS : gostaríamos de tocar em Portugal. Estive em Portugal uma vez, foi parte de uma viagem eurorail de um mês (eu amo viajar). Eu sei que vocês têm ótimas linhas portuárias, boas praias no sul e que vocês são o único país do mundo onde todas as drogas imagináveis ​​são legalizadas, não?

Hintf: Quem eram os vossos ídolos quando eram jovens e quem são os vossos ídolos agora?

JENS :O meu gosto pela música rock cresceu muito desde que entrei na banda. Naquela época eu ouvia muito  Kent, Depeche Mode, HIM, The 69 Eyes, Limp Bizkit e diferentes actos eletrónicos, como Ulrich Schnauss e Chicane.

Hoje em dia, eu  prefiro música mais pesada como Marilyn Manson e In Mourning, mas também bandas como Truckfighters, Mars Red Sky e Devin Downsend Project entre outras.

MIKAEL : Eu ouvia muita música diferente, mas a maioria dos presentes ao longo dos anos foram bandas como Metallica, Iron Maiden e HIM (para citar alguns!).

Pessoalmente, também consumi muita música dos países nórdicos como Hardcore Superstar, In Flames, The 69 Eyes, Nightwish, Backyard Babies, Sabaton, Turbonegro, Volbeat e Finntroll.

PELLAS): Meu primeiro ídolo da música era “The King”, Elvis Presley. E eu ainda o amo hoje. Então fui apresentado à guitarra elétrica pelos Europe e Scorpions. Essas bandas  levaram-me à música mais pesada como Metallica, In Flames, Sybreed, Trivium etc. e eles são o meu estilo preferido hoje. Mas também tenho um ponto fraco por blues como Stevie Ray Vaughan e desserts / stoner rock como Truckfighters. Eu adoro uma boa música de fuzz!

MATIAS: A minha primeira cassete foi Blow Out Your Video por AC / DC. Eu tinha cerca de seis anos de idade então. Alguns anos depois, me apresentaram a Iron Maiden com The Number of the Beast, e  Judas Priest com Ram it Down. Tinha também muitas de The Offspring, os álbuns Smash e Ixnay on the Hombre.

Mas mesmo que o rock e o metal fossem uma grande parte da minha juventude, assim como a música eletrônica, eu ouvi muito Scooters Our Happy Hardcore e as bandas da década de 90 da Euro Dance, como Basic Element e Pandora.

O meu gosto musical parece estar sempre se expandindo e o que eu ouço praticamente depende do humor em que eu estou. Hoje em dia, eu sou bastante omnívoro quando se trata de música. Eu ouço praticamente qualquer estilo ou subgênero em que ponho as mãos. Eu adoro fazer listas de reprodução no Spotify. Mas eu odeio toda a música sem alma e esforço, música genérica.

Bandas que sempre me espelharão e me farão agir como um miúdo de 10 anos são The Soundtrack of Our Lives, HIM, Iron Maiden, Daft Punk e Truckfighters.

SANCHEZ: Ídolos é algo que eu nunca realmente tive. Eu sempre gostei de todo o tipo de música e ouvia quase tudo.

Hintf: Deixem uma mensagem para os vossos fãs e leitores …

LAMORI: Queremos agradecer a todos os nossos fãs e a todos que compraram o nosso novo álbum. Obrigado a todos pelo apoio.

 

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*