Grey Attack

Entrevista: Grey Attack (Grey Charlez)

Por: Paula Antunes

Hintf: Antes de mais e para quem só agora teve oportunidade de conhecer o vosso trabalho, o que nos podem dizer sobre o surgimento dos Grey Attack enquanto banda?

Grey Charlez, Wulff Maahn, JFK e Frank Le’Gov… Quatro rockeiros que, após anos de variadas ocupações se juntam e começam o projeto GREY ATTACK, para desde então rockar os palcos da república e mais além. No passado, tocámos juntamente com algumas outras bandas e de alguma forma nos voltamos a encontrar com a ideia de desenvolver um novo conceito de banda. Ainda tínhamos em mente algumas canções mais antigas que conferimos se nos assentavam e reparámos que poderíamos tornar a coisa mais especial. Então rumámos direto ao estúdio onde o desenrolar da coisa se fez naturalmente. Entretanto, lançámos o nosso segundo álbum “Grains of Sand” e estamos muito satisfeitos com o resultado.

Hintf: Falem-nos um pouco mais acerca do vosso percurso no cenário musical, o que vos levou a tornarem-se músicos?  

Gostamos de Rock desde crianças, tendo começado as nossas primeiras bandas em meados dos anos 80. Eu conheço o Frank e o Wulff desde essa época. Tocávamos em bandas diferentes numa espécie de competição J. Foram realmente bons tempos. Fazer música era a coisa mais importante das nossas vidas… ok, excetuando as miúdas, talvez. Agora trabalhamos para nos certificarmos que continua a ser novamente dessa forma J. A sério, comecei a tocar guitarra quando tinha 15 anos e pensava que podia tocar numa banda até atingir a quase perfeição. Até lá ainda só tinha visto uma banda punk lá da escola e soube… também posso fazer isto. Alguns meses depois tinha a minha primeira banda e estava no meu caminho… caminho louco num negócio de doidos.

Hintf: De que melhor forma descrevem a vossa sonoridade? 

As nossas raízes musicais são – e isto não é só devido à nossa idade – desde muito antes dos finais dos anos 60 e dos inícios dos anos 70. Hendrix, Led Zeppelin, The Who…..Se ouvires isto atualmente com o devido distanciamento, vais compreender que isto foi sem dúvida espetacular. Mas também nos inspiramos com bandas mais jovens, Creed, Alter Bridge, Pop Evil ou Five Finger Death Punch, bandas que não estão injustamente onde estão atualmente. A nossa sonoridade pode ser encontrada algures a meio deste desenvolvimento musical.

Hintf: Têm um novo disco cá fora, o album “Grains of Sand”, uma bem construída peça que agarra a sonoridade Hard Rock e que se mistura bem com um toque de grunge. Quais foram as principais influências e inspirações para o processo de composição deste disco?  

Acho que a vida real é a nossa verdadeira inspiração. Quando voltei a encontrar os outros rapazes em 2012, tivemos algumas boas sessões de jam, improviso. Foi muito divertido e soube de imediato que algo muito especial estava a acontecer. E assim não demorou muito até que nos voltássemos a reunir em estúdio. Escrevi a maior parte das canções durante a fase de produção. As canções simplesmente jorravam de mim. A vida real tem muito a dizer. E isso acontece também com as canções do nosso atual álbum. Os tópicos vêm da vida real. Musicalmente, o todo evoluiu. Claro que estamos satisfeitos com isto e também reparámos nisto com a aceitação que o público tem demonstrado na nossa tour.

Hintf: Falem-nos mais de “Grains of Sand”, a sua ideia conceptual, e o principal foco das letras…  

O Título lida essencialmente com a perceção individual sobre o mundo. Todos se deveriam levar menos a sério e focarem-se no essencial do mundo. Amor, liberdade, música… As melhores coisas da vida são gratuitas…

Hintf: Como tem sido até aqui a reação dos vossos seguidores a este novo disco?  

O novo álbum tem tido uma reação muito positiva. Também reparámos nisso nos nossos concertos ao longo deste ano na tour Grains of Sand. A base de fãs cresceu significativamente. Esperamos que assim continue.

Hintf: Das 10 canções que fazem parte deste disco, qual a vossa preferida? E porquê? 

Isso é muito difícil de responder pois eu mesmo escrevi as canções. Cada canção tem o seu significado. No entanto, se tenho de escolher então atualmente escolherei a canção ‘Wonderful Live’. A canção é por um lado muito emocional mas também dura. A inspiração para esta foi o sentido mais lato nos meus filhos. Amo-vos!!

Hintf: Estão a par da nossa cena musical? O que conhecem de Portugal?  

Para ser sincero, não conheço a cena musical portuguesa. Nem tão pouco conhecemos a cena alemã, e vivemos na Alemanha J. Mas claro que conhecemos Portugal das férias e claro que gostaríamos de ir em tour ao vosso país. Talvez esteja para breve.

Hintf: Quais são os principais planos dos Grey Attack para o futuro próximo? O que se segue na vossa agenda?  

Primeiro vamos começar a quarta e última parte da nossa tour Grains of Sand 2018 de 21.09 a 30.09 pela Alemanha. Então vai haver um ponto alto: vamos fazer suporte para a banda alemã BONFIRE com estrelas como Joe Lynn Turner dos Deep Purple, Bobby Kimball dos Toto, Geoff Tate dos Queensryche e muitas mais. Também continuaremos a tour em 2019. Também em 2019 começaremos a trabalhar no próximo álbum, que esperamos seja lançado em inícios de 2020. É este o plano.

Hintf: Por fim mas não menos importante e com um enorme obrigado pelo vosso tempo para com esta entrevista, deixem-nos uma mensagem aos nossos leitores e vossos seguidores portugueses!  

Como o Lemmy disse… Se pensas que estás muito velho para o rock´n´roll, então estás. Então rocka onde estiveres e não te esqueças… nós somos, tu és… Grains of sand (grãos de areia)!!!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*