Omnium Gatherum

Entrevista: Omnium Gatherum

Por: Lígia Ferreira

Hintf Webzine: Obrigada por esta entrevista, antes de tudo começar, como surgiu a ideia para este projeto?

Olá. Não houve razão específica ou ideia por trás disso. É apenas uma daquelas coisas que devemos continuar a fazer. Há sempre algum tipo de inspiração por aí e assim as coisas avançam. Lenta e sólidamente. Álbum atrás de álbum. Há aquele fogo dentro de nós e fazemos novas músicas e continuamos em turnê. É isso que amamos fazer.

Hintf Webzine: O que os fãs podem esperar do  próximo álbum, The Burning Cold?

Eu acho que as pessoas podem esperar músicas OG sólidas,  com novas ideias e novas perspectivas. Desta vez, queríamos fazer músicas que fossem super melódicas e pesadas. Este casamento de melodia e aspereza é uma coisa que estamos a ajustar há alguns álbuns e com o novo álbum eu acho que nós  acertamos. É claro que ainda há espaço para mais no futuro, mas isso é algo que está por vir e agora concentramo-nos neste álbum e nestas músicas, especialmente nas próximas turnês, onde vamos tocá-las ao vivo.

Hintf: Qual estúdio escolheram para gravar o álbum e quanto tempo demorou o processo?

O Burning Cold foi gravado em dois sítios Na Teemu Aalto Music Productions e no Unisound Lab. Os homens por trás disso além de nós são o sr. Teemu Aalto (gravação, produção) e Dan Swanö (mix, masterização e produção). O processo durou cerca de 4 meses no total, desde as primeiras gravações até as últimas versões do álbum completo.

Hintf: Foi um desafio gravar o álbum?

Não é mais desafiador do que os anteriores. Nós fizemos muitos álbuns e conhecemos muito bem os passos. Devo dizer, porém, que quando se grava um novo álbum aparecem sempre problemas e dificuldades durante o tempo que duram as gravações. Não se pode antecipar todas as coisas possíveis que podem ou não acontecer durante a gravação. Portanto, devemos estar prontos para todos os tipos de contratempos, fácil e difícil.

Hintf: Quais são alguns dos tópicos abordados?

Os principais temas são os conflitos que acontecem aos seres humanos dentro deles e os conflitos que  acontecem fora, no mundo.  Os temas contêm turbulências emocionais positivas e negativas que colorem toda a existência aqui neste planeta. Do amor à ignorância, do ódio à alegria ,das altas montanhas da esperança, aos mais profundos vales da estranheza existencial. Estas são as histórias que retratam toda a humanidade, todo o círculo.

Hintf: Vocês diriam que é o melhor álbum de Omnium Gatherum até agora?

Claro que é. Somos mais melódicos do que antes, mais agressivos, mais pacientes do jeito certo. Somos mais experientes quando  crescemos como músicos. Este último trabalho reflete o melhor que podemos alcançar juntos. Conseguimos fazer músicas poderosas de que realmente nos orgulhamos.É um novo toque no novo material e ainda contém o som OG conhecido. O Cold Burn é o melhor álbum do OG até agora.

Hintf: Ao compor o que vos influencia e inspira ?

A inspiração está por toda parte. Na natureza, nas cidades em que vivemos, nas outras pessoas à nossa volta, nas surpresas que encontramos ,as vitórias, as perdas e as rotinas que temos. Não há como saber de onde vem essa inspiração. De alguma forma, ela consegue nos impulsionar para continuar a fazer o que amamos. A música, a vida na estrada e todas as coisas que a acompanham.

Hintf: Vocês têm algumas datas anunciadas para a Finlândia e o resto da Europa … Podemos esperar-vos de volta a Portugal em breve?

Acho que sim. Nós demos um concerto incrível em Portugal,  eu acho que nós vamos acabar por voltar mais uma vez. Estas datas acabadas de anunciar são as primeiras digressões deste álbum e haverá mais, claro, e penso que Portugal estará nessa lista.

Hintf: Qual é a banda que vos fez entrar no Metal e quantos anos tinham quando a ouviram pela primeira vez?

Para mim, pessoalmente (Jukka, vocalista) foi talvez Kiss, Wasp ou David Lee Roth. Eu não lembro. Tem havido muitas bandas que influenciaram cada membro da banda, naturalmente. Nomear um nome específico seria um pouco estranho, porque pelo menos para mim nunca poderia ser apenas uma banda. A música em geral é uma experiência rica e as bandas individuais são extensões desse fenômeno maior que a vida.

Hintf: Se fossem para uma ilha deserta e pudessem escolher apenas um álbum para levar com vocês, qual  escolheriam?

Oh , isso é difícil. Algo de Iron Maiden ou Dimmu Borgir.

Hintf: Gostariam de deixar uma mensagem para os vossos fãs?

Continuem fieis ao metal! Vejo-vos na estrada!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*