Report Escrito Northlane

Report Escrito Northlane @ RCA CLUB, Lisboa (31.Julho.2018)

V O I D // Thirdsphere // Northlane

By: Paula Antunes (Hintf Webzine)

Thanks: Out Of Sight Booking (David Salad Days)

Ocorreu no passado 31 de Julho em Lisboa, na sala do RCA, a segunda das três datas marcadas para mais um evento organizado pela Ample Talent Booking & Management em parceria com a Out Of Sight Crew e em que ousaram e bem mais uma vez trazer uma banda internacional estreante nos nossos palcos – e com já considerável legião de seguidores que se fizeram notar enchendo esta sala desde o início da hora prevista e marcada – os australianos Northlane.

Mais uma vez é de assinalar e destacar o brio com que o público português cada vez mais acompanha e pontua britanicamente a sua presença nos eventos, encorpando bem as primeiras fileiras para que pitada e apoio não se percam e isto é de louvar e aplaudir a uma 3ª feira, quando para muitos ainda é semana de trabalho e as opções para uma quente noite de Verão pudessem ser outras.

Tendo sido feita a primeira escala em paragens mais a sul, concretamente no Bafo de Baco, em Loulé, as bandas nacionais convidadas para abrir caminhos aos australianos, marcaram de forma muito positiva a sua posição e função.

Às 20h29 de Lisboa os setubalenses VOID arrancam a todo o vapor, certamente ainda imbuídos do frenesim da noite anterior, deixando antever uma noite memorável de total entrega e um com um profissionalismo de como se sempre tivessem feito isto e não algo de diferente.  Trazendo em carteira o seu mais recente trabalho, o EP “Navigate” e fazendo-se valer de um explosivo e atual metalcore, as primeiras palavras que se ouvem são decisivas (‘…Boa noite Lisboa!…’) e reforçam a segurança deste quarteto que se atira de cabeça com temas marcantes como ‘Adamastor’ ou ‘Solitude’, cambiando entre as interpretações em português e inglês, numa junção rítmica de melodia, acutilância e groove. De salientar também a forte componente vocal onde os registos imperativos de ‘toca a mexer car…’ se fundem com a profundeza dos graves arrancados em ‘Gods’ e com o soberbo fecho de ‘Paradoxal’.

20 Minutos após a atuação dos VOID, é chegada a vez do agora quarteto Thirdsphere mostrar toda a sua pujança eporque são atualmente daquelas bandas que devagar levam a sua poderosa música a bom porto. Cumprindo 10 anos de carreira e já com algumas passagens em salas da capital, trouxeram para set de palco a apresentação na íntegra do que é ainda o seu mais recente disco, a peça de metalcore/deathcore “Syzygy”, editada no passado Dezembro de 2017. Sob a astuta e pertinente produção de Vasco Ramos e Tiago Canadas, este disco é uma estocada feroz em estômagos sensíveis e ávidos de música dinâmica, estruturada com riffs curtos e potentes e violentas descargas na bateria de onde a precisão trabalhada permite ainda alguns brilharetes com as baquetas. Se este disco em estúdio resulta e não só se faz de temas como ‘Monsters’ – um dos pontos altos do set dos Thirdsphere, ou ‘Worms’, houve ainda tempo para o constante incentivo de manifestação física do público que esteve sempre incansável, não se fazendo rogado a mosh ou circle pits, num bom treino e aquecimento para o que ainda iríamos presenciar. Prestação e prova mais que superada de onde se destaca ainda os temas que sem a participação de seus convidados oficiais – em ‘Hammers’ (o guitarrista Mendel Bij de Lei dos Aborted) e em ‘IR Interference’ (o vocalista Andrew Ivashchenko dos Shokrun) – nada perderam de garra e dinamismo. Claro que ainda se pôde dar o devido pezinho de dança com a sua original versão do tema ‘Unbelievable’ dos EMF. Bravo Thirdsphere!

Assim como todos os eventos começam também terão que acabar e passando a redundância do óbvio, é chegado o momento de podermos assistir de que forma se faz o metalcore por terras australianas, de onde provêm também tantas outras boas pérolas musicais. No ativo desde 2009 e com uma rápida ascensão feita no espectro do metalcore, os Northlane têm vindo a conquistar público e seguidores por onde passam e os 4 álbuns editados que reforçam a sua força vital mostram também algumas alterações na linha musical inicial, tendo o palco do RCA sido pequeno para acolher tamanha enormidade de progressão e desenvoltura, abraçando em temas como ‘Colorwave’, ‘Worldeater’ ou ‘Paragon’- estes extraídos de “Mesmer’ de 2017 – a sua incursão na cena Djent e Progressivo, vincando bem as suas raízes primordiais do metalcore em ‘Masquerade’ ou ‘Aspire’. Brilhante e prazerosa de ver a forma como interagiram com o público e a forma como este mostrou o seu apreço à banda, cantando em uníssono a grande maioria das canções trazidas a nós (um total de 13), revelando também a força que esta vaga de novos e jovens melómanos tem e que a nós, mais entradotes irá capazmente substituir e manter a chama do metal seja de que estilo for se mantenha bem viva e atual.

De parabéns a organização que arrojou trazer Northlane a Portugal, e que convidou as bandas de abertura meritórias desta oportunidade, VOID e Thirdsphere. Os talentos são realmente amplos e a equipa que trabalha fora da vista fez-se notar, a Ample Talent e a Out Of Sight Crew são também entidades promotoras às quais devemos estar atentos ao que nos trazem, seja a uma 3ª feira a findar o mês de Julho seja a um qualquer fim-de-semana de outro mês qualquer. Da equipa técnica e staff da casa RCA já sabemos o que esperar e mais uma vez o profissionalismo e carisma estiveram presentes. Do público esse, bravo, bravíssimo, esteve ao rubro e deu gosto assistir a esta potência humana.

Agradecemos à Ample Talent a oportunidade concedida de podermos presenciar e
à nossa maneira fazer parte com estas singelas linhas e caracteres a nossa participação. Até breve!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*