Powerwolf

Banda: Powerwolf

Titulo:“The Sacrament of Sin”

Editora: Napalm Records

Data de Lançamento:20.Julho.2018

Quando falamos de Power Metal/Heavy Metal, é difícil hoje em dia não falar do quinteto alemão Powerwolf. E sei de certeza que os fãs, deste género e da banda, estavam já à espera do lançamento deste álbum, pois, como é habito nesta formação germânica, a cada 2 anos é editado um novo trabalho. E é já dia 20 de Julho que será lançado o novo LP! Restam então poucos dias para descobrir estas novas faixas que compõem este,e posso desde já dizer, muitíssimo interessante”Sacrament of Sin”!

Ponto prévio: há algo que é difícil de dissociar desta banda, a teatralidade que envolve as suas composições. 5 Músicos que vivem de um ambiente bem particular que transmite às suas faixas uma dimensão bastante épica e teatral, com uivos de lobos e muita maquilhagem à mistura, mas sobretudo com aquele som de órgão de Igreja (obrigado Sr. Falk Maria Schlegel) bem característico! E a verdade é que resulta bastante bem. Muitos poderão dizer que são uns Posers, uma imitação de King Diamond, mas a verdade é que os anteriores LP são do melhor que já foi apresentado neste mundo de Metal. Muito forte, muito épico e muito sombrio ao mesmo tempo! E este 7º álbum não foge a esta descrição. Mais diria que vai ainda mais longe!

Posto isto, devo dizer que fiquei mesmo algo entusiasmado com a qualidade de algumas das composições deste “The Sacrament of Sin”, por exemplo “Killers with the Cross” ou “Night of Siberia” (sobretudo com esta última), com riffs de guitarra fantásticos, rítmica bem interessante e o solo da última absolutamente deslumbrante. Claro que estes temas irão com certeza ser do agrado dos verdadeiros fãs da banda!

Com “The Sacrament of Sin” ou “Fist by Fist” parece que os Germânicos jogaram pelo seguro, pois, as composições embora ricas e bem produzidas musicalmente, foram extraídas do antecessor LP “Blessed and Possessed”. Uma jogada segura, mas interessante pois mostra que os alemães gostam de um som que lhes é verdadeiramente próprio. Não desgostei de “Stoss gebet”, pois, projecta-nos para o lado mais sombrio que podemos encontrar neste trabalho. Estranho para mim foi ouvir “Where the Wild Wolves Have Gone” que parece algo fora de contexto, mais de outro registo. No entanto, para mim a surpresa e a cereja no topo foi sem dúvida alguma “Icense & Iron”. Muito Power Metal, muita força, muito bons riffs, mas a voz, que voz! Attila Dorn parece dar um toque de subtileza mas com uma força muito peculiar. E preparem-se que fica mesmo gravada na cabeça! MESMO!

Portanto, um álbum bem produzido, bem escrito, que não irá desiludir os fãs da banda, e que de certeza irá convencer aqueles que não estavam propriamente a par do trabalho deste quinteto germânico!

Pontuação:9/10

Por: Julien Valente

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*