Immortal

Banda: Immortal

Titulo: “Nothern Chaos Gods ”

Editora: Nuclear Blast

Data de Lançamento: 06.Julho.2018

Confesso que após a saída do grande e carismático líder Abbath em 2015, toda a legião de fãs destes míticos nórdicos ficou com certeza um pouco apreensiva quanto a novos lançamentos dosImmortal. A verdade é que Abbath continuou o seu caminho(e bem!), e que Demonaz (Guitarra e agora nas vozes também) e Horgh (Bateria) ficaram com a árdua tarefa de continuar a trabalhar o grande e extremo legado deste Immortal.

Posto isto, o que dizer deste “Nothern Chaos Gods”? simplesmente que é brutal! E em vários sentidos. No sentido literal: raiva, riffs incisivos, força e mais alguns ingredientes que não deixam grandes dúvidas que os Immortal estão aqui para ficar. Brutal também porque as faixas que compõem este novo LP são, na sua maioria, muito boas. E isto fica patente assim que se carrega no play do leitor. A primeira música que dá nome ao álbum, mostra um Demonaz acutilante na guitarra e com muita pujança na voz. Muitíssimo bem acompanhado na bateria. O todo fica perfeitamente coeso e dá o mote para o resto do álbum.

Importante será também destacar o uso de muitos ambientes mais atmosféricos nas composições deste álbum. Algo que provém da maneira de compor de Demonaz (já se via no álbum “MarchoftheNorse”) e que traz um toque muito peculiar às músicas. “Gates to Blashyrkh” e “Where Mountains Rise” são um excelente exemplo do quão pesado o som pode ficar, quando no processo de composição se integram riffs que criam ambientes próprios e únicos. Mas atenção não fiquem a pensar que o lado mais violente e rápido, mais potente foi posto de lado: “Intothe Ride” e “Called to Ice” parecem extraídos de uma tempestade nórdica cheia de trovões e de velocidade apocalíptica. Se é um verdadeiro fã de Immortal comece imediatamente por ouvir estes dois temas.

É também fundamental para este álbum, a produção de Peter Tägtgren, que põe em destaque a guitarra e a bateria. E não será menos importante referir que nesta gravação estão presentes verdadeiras linhas de baixo. Não senhores ouvintes, não é batida eletrónica, mas sim um verdadeiro baixo que ouvem. E gravado por quem perguntam vocês? Pelo próprio Sr. Tägtgren! Não se esqueçam de pôr um ouvido atente em “Grimand Dark”, bem na tradição do Balck Metal com um riff de guitarra fantástico!

Por isso vos digo: quem estava com algum receio pela saída de Abbath e por este novo LP poder vir a ser algo que não um verdadeiro Immortal, que se engane. Estes senhores são mesmo o que dizem ser: Imortais!! Óbvio que não podem estar à espera de um “Pure Holocaust” ou um “Atthe Heart of Winter”, mas é um trabalho muito forte e que, em boa verdade, não fica atrás do lançamento de Abbath, bem pelo contrário!

Pontuação: 8,5/10

Por: Julien Valente

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*