Bad Wolves

Banda: Bad Wolves

Titulo: “Disobey”

Editora: Eleven Seven Music

Data de Lançamento: 11.Maio.2018

Provenientes da cidade dos anjos, Los Angeles, no estado da quente Califórnia, EUA, os Bad Wolves são das mais recentes novas formações e atual sensação no panorama do metal mundial. Apesar de individualmente ativos em outras já renomadas bandas da moderna cena Rock/Metal, iniciam atividade sob esta designação em meados de 2017 e já com 2 bem-sucedidos EP’s na bagagem, chega a vez do estreante álbum em formato longa-duração, intitulado de “Disobey”.

Sendo este álbum ainda muito fresco, lançado no passado dia 11 de Maio do corrente com o selo da editora Eleven Seven Music, provoca já algum furor, até porque falamos da junção de elementos que só por si elevam bem alto a fasquia das criações deste novo supergrupo.

“Disobey” está estruturado numa moldura musical maioritariamente estilizada na poderosa sonoridade do seu baixo, executado por Kyle Konkiel (ex-In This Moment) que explora massivamente a linha estilística do D-jent, juntando-se os guitarristas Doc Coyle (ex-God Forbid) e Chris Cain (ex-Bury Your Dead) num duelo de guitarras que soltam riffs eletrizantes sem solos desmesurados e conferindo esta tríade da secção de cordas uma brilhante do referido moderno D-jent com Blues e o constante peso dos livres ritmos do Rock.

Das 13 faixas com que se faz este “Disobey”, ressalta a brilhante vocalização de Tommy Vext (ex-Divine Heresy), numa afinação brutal e tonalidade vocal que se molda perfeitamente às diferentes variações de acordes. Na bateria temos a vigorosa mestria de John Boecklin (ex-Devildriver) que a executa com arrojo e a uma velocidade quase sempre rápida e estonteante, sendo o coração pulsante e que bombeia a adrenalina com que se ouve este disco.

Notam-se influências de Faith No More e Five Finger Death Punch em termos de linha musical, e na sua composição lírica debatem-se temas humanamente mundanos e sempre atuais.

Neste “Disobey” encontramos ainda a melódica e suave versão para o original dos The Cranberries, ‘Zombie’, que era suposto ter a participação da própria Dolores O’Riordan, entretanto chamada a partilhar outros palcos.

“Disobey” é um disco pulsante e vibrante, uma excelente estreia sob o formato longo e que evidencia o trabalho desenvolvido de quem não dorme à sombra de louros colhidos com outras facetas. Destaque também para o tema que entretanto foi escolhido para o vídeo oficial, ’Learn To Live’ e ainda ‘Hear Me Now’ com a participação de Diamante, detentora de belíssima voz e que assina também pela mesma editora.

É um disco excelente para se apreciar em pleno nas quentes noites de verão, na companhia de bons amigos em que as gargalhadas e a boa disposição fluam.

Pontuação: 8,8/10

Por: Paula Antunes

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*