Árstíðir

Banda: Árstíðir

Titulo: “Nivalis”

Editora: Season of Mist

Data de Lançamento: 22.Junho.2018

Bem, é simples. Não consigo parar de ouvir. Pronto, está dito. Há músicas que vêm carregadas de energias, que vêm cheias de técnica. E depois, há aquelas que além de ter uma energia, e uma técnica obvia, estão cheias de emoções. Ouvir um álbum que desde a primeira faixa, nos leva para uma viagem épica, por entre sonhos, por entre paisagens sonoras absolutamente fantásticas, é como uma verdadeira sorte. Há aqui que dizer algo que me parece óbvio. Isto é muito mais do que simplesmente música. Como já disse isto é emoção. E quando falo em energia, não falo de brutalidade ou de força. Mas sim de algo muito subjetivo.

Posto isto, este 5º álbum destes senhores Islandeses é composto por 13 temas. São todos um recorte de beleza musical, que vai buscar ao Folk, ao rock, ao Progressivo e até por vezes, têm aquele toque absolutamente Indie. Tudo num registo fantástico. Bem, mas óbvio que isto é apenas a minha opinião.

Ser-me-à então difícil falar dos temas? Não, de todo. Começamos pelo nome da banda que em Islandês significa “Estação”, e pelo nome do álbum que em Latim significa “com neve” numa tradução aproximativa. Entendemos que este LP nos pretende levar numa viagem por esta estação. E as músicas fazem isso mesmo. Com o calor de um interior protegido do frio, com arrepios, com sensações maIs frias. Tudo está contido nestas músicas e letras. “A intensidade que se sente ao ouvir “Circus” com o acompanhamento do violoncelo e do Baixo duplo. Uma intensidade absolutamente épica! “While This way” parece uma caminhada no meio de um nevão ligeiro, por entre uma paisagem extraordinária. O que dizer das emoções que sobressaem de “Mute” ou de “Please Help Me”, uma intensidade abismal! Destaque também para “In the Wake of You”, com aquele toque eletrónico que confere ao todo algo impressionante.

Pronto eu tenho de destacar todo este álbum. Lá está ,eu gosto!!! Muito. Não agradará a todos, mas eu gosto de algo que seja diferente, inspirado e que possa vir a inspirar. E um álbum que tenha a capacidade de me fazer viajar, seja ele de Death, de Black, ou neste caso de Folk/Rock/Indie para mim é um LP que terá de ser ouvido vezes sem conta. Uma boa viagem por está estação. Sem dúvida alguma.

Pontuação: 9,6/10

Por: Julien Valente

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*