Lelahell

Banda: Lelahell

Titulo: “Alif”

Editora: Metal Age Productions

Data de Lançamento: 15.Junho.2018

Os Lelahell são um trio proveniente da Argélia, na linha costeira banhada pelo Mediterrâneo a Norte de África, e que em termos geográficos faz a virtude entre a Líbia e Marrocos, mediando e permeando culturas díspares e afincadamente religiosas. Praticantes de um extremista Death Metal brutal e que tem como anjo da guarda Lelahel, um dos serafins votivos do Amor, da Luz e do Fogo, também imbuído de Sabedoria e Responsabilidade.

Sediados na capital do seu país de origem, em Argel, brotou destas partes do Saara, a genialidade musical liderada por Lelahel que desde 2010 assume além da fundação da banda (inicialmente como projeto a solo) as vozes e as guitarras executadas.

Baseando-se na história de ‘Abderrahmane’, recebemos dia 15 de Junho o capítulo sequencial à temática iniciada com o anterior álbum de 2014, “Al Insane …The (Re)Birth of Abderrahmane” e que desta vez se foca na aprendizagem da sua nova vida e em palavras do próprio Lelahel, como uma criança a dar os primeiros passos, aprendendo a andar e a falar e a tomar consciência do mundo que o rodeia e dos seus inerentes perigos. “Alif” é o título deste segundo álbum que chega com o selo da reputada Metal Age Productions, responsável também por um bom número de êxitos ao longo dos seus já 20 anos de existência (Lividity ou Avulsed por exemplo…).

“Alif” é um disco potente e rasgado desde o início com ‘Paramnesia’ – tema de abertura e que inclusivamente tem videoclip oficialmente dirigido por Guilherme Henriques e rodado em solo lusitano; as influências do Death metal da velha escola de Lelahel são patentes em Lelahell enquanto banda e tremolo pickings com fartura e outros riffs complexamente trabalhados mostram bem a fonte inesgotável de Cannibal Corpse ou Devourment e ainda uns mais contemporâneos e similares pares no género (e porque não nacionais/internacionais também…) Analepsy.

“Alif” vinga maioritariamente pela crueza no sentido de pureza da sua abordagem ao estilo Death/Brutal Metal, valendo-se da vocalização gutural como nível equalizador da secção de cordas que além dos riffs citados assenta numa linha de baixo grave e crescente de garra sem no entanto corromper a percussão suavemente feita sob blast-beats rompantes e cíclicos.

Enquanto disco e na sua história musicada de aprendizagem, esta mesma aprendizagem é colocada em prática tema após tema, fazendo de “Alif” um registo importante na carreira de Lelahell, na enciclopédia musical mundial e a ponte sonora de décadas de inspiração e influências de velhos para novos praticantes e ouvintes deste estilo mais extremo e com alguma obscuridade.

Destaque ainda para temas como ‘The Fifth’ e o brilhante fecho com ‘Impunity Of The Mutants’.

Pontuação: 8,9/10

Por: Paula Antunes

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*