Dead Shape Figure

Banda: Dead Shape Figure

Titulo:“Cacoëthes”

Editora: Inverse Records

Data de Lançamento: 08.Junho.2018

Como descrever facilmente algo que não tem verdadeiramente uma colocação logica? E atenção que muitos poderiam aqui entender uma crítica escondida. Mas nada seria mais errado. Um Metal, mas muito Heavy, com um toque Thrashy à mistura, sem dúvida alguma. Mas estamos no Death certo? Sim talvez, mas com um “jene sais quoi” muito melódico. Mas espera, com muito feeling groovy à mistura não achas? Claro! OfCourse!

É nesta complexidade que se começa a ouvir este 4º LP dos DeadShape Figure.Depois de uma intro  muito sinfónica, entramos em “TheLastOfTheBearing Beats”, com coros que nos põem logo num ambiente mais “negro”, para logo de seguida sermos “atacados” por guitarra, bateria e baixo. E uma voz que nos faz logo pensar que este músicos finlandeses não estão aqui para brincadeiras. Muito técnico, muito ritmo, mas sobretudo muito feeling. Fica no ar constantemente um toque subtil no ritmo que nos faz pensar que este metal não é linear. A música faz-nos navegar num rio de ritmos verdadeiramente interessantes. “SwitchableStorm”, encaminha-nos “straight to thepoint” para algo muito mais rápido, batida forte e guitarras afiadas, para um género muito mais thrashy. No entanto, lá verificamos novamente a questão destes toques rítmicos que dão de imediato outra vida áquilo que se ouve na abertura da música (com vontade de abanar a cabeça num movimento ininterrupto). Podíamos estar aqui a descrever cada música, que iríamos imediatamente perceber que toda a construção rítmica e melódica deste álbum assenta nestas mudanças constantes que tornam a experiência auditiva muito mais rica e interessante. “BoltofChaosandCreation”, mid-tempo, Riff de guitarra Heavy que chegue, “For FurtherLoss” novamente com guitarras afiadas, “Strange Light Pulsate”, rápida, com um toque muito agressivo, ou “For theSullen Souls”, uma música mais épica, com guitarras fantásticas e uma voz gutural absolutamente enquadrada e perfeita!Apenas guardamos um destaque para “Liberticide”. Há nesta música algo muito diferente. Uma música que se encontra bem no meio da força e da subtileza. Com vozes mais clean. Música muito interessante, e muito bem construída.

O que se pode dizer deste “Cacoëthes”? Diria apenas… Muito bem pensado. Muito bem executado. Muita diferença e ao mesmo tempo algo que nos liga a elementos mais clássicos. Jogamos entre linhas. Mas que qualidade musical. Sem dúvida alguma um álbum que irá rodar muito mais na minha playlist!

Pontuação: 9/10

Por: Julien Valente

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*