Coroner

Banda: Coroner

Titulo:“No More Color”

Editora: Century Media Records

Data de Lançamento: 18.Maio.2018

“No More Color”, 3º álbum editado pelos Suíços Coroner, lançado originalmente em 1989, é de longe,para mim, um álbum que marcou uma evolução para este trio Helvético. Um Thrash Metal muito técnico, com uma guitarra bem presente, monstruosamente técnica, Riffs assertivos e que nos dizem de imediato aquilo que se pretende quando entramos pela porta deste LP.

Mas vamos por partes. Primeiro, é importante dizer que os Coroner são uma banda que, para a época, era diferente daquilo que se ouvia na corrente mais importante de Metal. Para os anos 80, era muito difícil de entender, talvez algo extrema na sua maneira de abordar a raiva que tinha de pôr na composição das músicas que nos eram oferecidas. Uma banda que na realidade nunca foi verdadeiramente “copiada”, de tão única que é, mas que inspirou dezenas de outras, sem se saber bem porquê (e embora se tenha perceção da presença de alguns traços nas composições), é raramente mencionada como influência principal…

Como disse mais acima, este álbum acaba por ser uma verdadeira evolução na carreira dos Suíços, pois denota mais maturidade, construções mais complexas, técnicas, sem perder aquela violência bem carregada de uma certa “aura noire” semi escondida. Guitarras incisivas (Tommy “T. Baron” Vetterli, muito obrigado!), um baixo bem presente e uma bateria extremamente eficaz. Uma rítmica que fica sem dúvida “agarrada” às nossas mentes. E a voz de Ron “Royce” Broder é, de facto, verdadeiramente deliciosa, ficando colada aos temas, como se de algo “demoníaco” se tratasse. Perfeito!

O ritmo das músicas neste LP é mais lento, como uma espécie de mid-tempo, e em boa verdade parece-me que era exatamente isto que era necessário para que os temas dos Coroner subissem para o degrau merecido. As acelerações, quebras de ritmo provocam uma certa vontade de ouvir mais e mais, pois acabam muitas vezes por surpreender. E não é isso que verdadeiramente importa na música, ser surpreendido? “Die BymyHand”, No Need to beHuman” com a secção rítmica a mostrar exatamente isso, quebras no tempo, espaço para pensar musicalmente. Novamente… Perfeito! Mas não pensem que não há lugar a músicas rápidas: com as mudanças de velocidade apresentadas em “Tunnelofpain” ou “DOA”, esta dualidade, mid-tempo/fast-tempo parece ainda mais genial! E para finalizar este trabalho, nada melhor que um “LastEntertainment”, com os teclados à “Twilight Zone” e o discurso introdutório, que nos transmitem em definitivo esta tal “aura noire” de uma banda que quer ser e é, com toda a certeza, bem diferente.

Na verdade, este LP é muito bem construído e muita mais trabalhado. E é um prazer ouvir estes temas de novo. Esta reedição de “No More Color”, que já estava esgotada há alguns tempos (muito tempo mesmo), vem finalmente repor junto dos fãs da banda um pouco de ánimo. Porquê? Simplesmente porque já se tornava verdadeiramente difícil para os fãs dos Suíços encontrar versões à venda, que não os obrigasse a hipotecar o carro ou a casa para poder adquirir as mesmas! Aliás os mesmos, pois esta re-issue está acompanhada do relançamento dos dois primeiros álbuns da banda “R.I.P” e “Punishment for Decadence”!

Pontuação:9/10

Por: Julien Valente

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*