Enzo Donnarumma

Entrevista Enzo Donnarumma

Por: Miguel Ribeiro

Hintf: Obrigado por responder a esta entrevista! Em primeiro lugar conta-nos,como aconteceu a tua paixão pela música?

Enzo: Obrigado a vocês por me darem a oportunidade de expressar meus pensamentos para aqueles que poderiam encontrar algo interessante!

Eu tinha apenas sete anos quando, no piano dos meus primos, aprendi de ouvido – a duas mãos – a Sonata ao luar de Beethoven, para convencer os meus tutores a me deixarem  estudar música. Eu já era ouvia  artistas como Rod Stewart, Pink Floyd, Bob Dylan e Steve Wonder.

Enquanto eu estava a estudar as primeiras sonatas fáceis no piano, eu já estava me perguntava como seria bom compor  esse tipo de música. Eu investiguei e fui em busca de música e com 10 anos de idade me apaixonei pelos grandes nomes da Motown Records (Billy Preston, Glady’s Night, Frankie Valli, Marvin Gaye, David Ruffin, Thelma Houston, The Temptations e outros). Gospel and Blues levou-me gradualmente às raízes do rock e, depois de um breve resumo na cena rock dos anos sessenta, aos 13 anos entrei no Heavy Metal, introduzido por grandes bandas  como Alice Cooper, AC/DC, Black Sabbath. Decidi tirar um curso de guitarra, enquanto ouvia muito Heavy Metal, grandes trabalhos progressivos, Prog Metal e música clássica, bandas sonoras, folk e new age. Aos 18 anos eu já estava com overdose de música. Ficou claro que compôr músicas seria minha prioridade.

Hintf: Quem é o Enzo Donnarumma?

Enzo: É uma questão que eu tenho que perguntar a mim mesmo todos os dias, porque ouvir muita música é bom, mas se identificar em muitos géneros musicais cria confusão porque não sabes mais quem és,e uma escolha deve ser feita. . Esta foi uma das razões pelas quais vi-me a compôr o 1º álbum do projeto “Enzo nad the Glory Ensemble”: redescobrir as minhas raízes musicais e espirituais. O resultado foi bom, mas a pesquisa continua e os álbuns são os documentos.

Mas mesmo a vida privada sempre me colocou em posição de perguntar quem eu sou: não é fácil manter a linha de Ariadne e crescer entre duas ou três famílias diferentes, justamente incapaz de dizer quem tu és.

Então, minha resposta é a seguinte: Enzo é aquele que procura o porquê da realidade, usando a música e a espiritualidade como instrumentos de abordagem.

Hintf: O que influência tua música?

Enzo: Quanto tempo eu tenho? (Risos) Entre os muitos géneros musicais que eu mencionei (e eu mudei muito o meu caminho), posso resumir as influências que “hoje” inspiram minha atividade. Os contrapontos com múltiplas vozes de Palestrina, Monteverdi e Bach, as sinfonias versáteis de Gustav Mahler, as óptimas bandas sonoras de James Horner, Trevor Jones e Alan Menken, o musical da Broadway, palestino, africano e gospel Folclore, o Prog Metal of Fates Warning e a maioria dos artistas que se juntaram aos meus álbuns que me acompanham há mais de 20 anos, incluindo Marty Friedman.

Hintf: Por favor, conte-nos mais sobre o projecto Enzo and the Glory Ensemble….

Enzo: Antes desse projecto, passei alguns anos como instrumentista,e em atividades teatrais e musicais, mas senti a necessidade de escrever um disco, tanto para me encontrar quanto para suavizar um caminho sensato a seguir. Eu decidi sintetizar minha música e minha fé. Em dezembro de 2013, durante um mês de intenso trabalho, nasceu “In The Name of the Father”. Um trabalho que hoje considero bonito, mas embrionário. Fiquei surpreendido, no entanto,este álbum foi imediatamente amado pelos nove convidados especiais famosos que participaram, da crítica e da imprensa, a ponto de ser mencionado várias vezes como uma singularidade da cena do Metal Cristão.

O segundo álbum, ” In The Name of the Son”, aperfeiçoa o caminho do trabalho anterior e abre a temas menos religiosos e mais sociais. O terceiro álbum, atualmente em fase de mixagem, vai coroar essa direção.

Hintf: Como é trabalhar com todos esses grandes músicos, como surgiu a idéia?

Enzo: Eu já era um grande amigo de Gary Wehrkamp (Shadow Gallery) há anos. Ele concordou em fazer uma análise das demos do meu primeiro álbum. O seu veredicto foi participar em algumas músicas, envolvendo também o cantor Brian Ashland. Nesse momento, percebi que a presença deles “fazia sombra” das outras músicas e ouvir o álbum e estava fraturado, de certa forma. Eu percebi que o projeto se tornaria um “festival” de convidados. Ficou claro como o sol! Então entrei em contacto com os artistas que sempre amei, oferecendo-lhes algumas partes e todos eles aceitaram, aumentando a reputação do meu álbum a ponto de receber pedidos para a participação de outros grandes artistas. Hoje somos praticamente uma família e as novas músicas são cada vez mais afectadas pela sua intervenção. Somos praticamente uma banda.

Hintf: Fácil de viver da música, ou tens um trabalho dito “normal”?

Enzo: Impossível viver com discos e concertos para quem escreve música alternativa. Grandes artistas internacionais integram o ganho ensinando, produzindo e gravando atividades de estúdios. A Internet promoveu visibilidade quase eliminando os ganhos. Meu meio de vida é ensinar música na escola.

Hintf: Como é a cena musical em Gragnano?

Enzo: É um pouco decepcionante, mas Gragnano, a cidade nacional de massas, famosa por seus excelentes vinhos espumantes e seus antigos moinhos, não tem uma cena musical. A crise na economia italiana não ajuda minha cidade a se recuperar.

Hintf: Quais são seus planos para o futuro?

Enzo: Estou a dedicar cada gota da minha energia ao 3º álbum,e  está  quase pronto. Os convidados estão operacionais e dão o melhor de si. Através desta última aventura, queremos fazer todo o possível para sensibilizar o mundo para a paz e o diálogo entre pessoas diferentes. Creio que a paz é a única condição em que “o Espírito se manifesta”, porque só a paz pode semear a cordialidade e estima mútua que nos motiva a acreditar em nós mesmos e nos nossos instrumentos de pesquisa. A paz é a única condição com a qual se compara o pensamento de todos em mais um passo em direção ao maior mistério de todos os tempos: que é a vida. Após o lançamento do terceiro trabalho, eu e os convidados pensaremos em uma digressão ao vivo.

Hintf: Por favor, defina o Enzo Donnarumma em apenas uma palavra …

Esperança!

Hintf: O que sabes sobre Portugal?

Eu tenho amigos portugueses. Boas pessoas, muito simpáticas, sorridentes e calorosas. Eu amo José Saramago e Fernando Pessoa, sempre fui fascinado pelo grande Vasco da Gama e Fernão de Magalhães e … felizmente a sua tourada é um pouco mais assistível do que a clássica (Risos)

Hintf: Gostaria de deixar algumas palavras aos nossos leitores e aos seus fãs em Portugal?

Paz, muita paz, ouça muito e fale um pouco. Ajuda a conhecerem-se melhor e a serem melhores pessoas e mais felizes! Felicidades para todos!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*