Follow the Cipher

Banda:  Follow the Cipher

Titulo:  Follow the Cipher

Editora:  Nuclear Blast

Data de Lançamento:  11.Maio.2018

Quando falamos de um album de estreia, é sempre importante fazer um enquadramento da banda, para perceber melhor o que poderá ter inspirado a conceição de uma nova ideia. Os Follow the Cipher são uma banda de origem Sueca, oriundos da cidade de Falun, bem no interior do território. Esperem aí, estamos a falar de Falun? Falun, como a cidade que nos deu os Twilight Force, Civil War e os Billion Dollar Babies, ou melhor ainda daquela banda de Power Metal, os grandes Sabaton? Espera aí. Mas… Mas… Sim é verdade, Os Follow the Cipher tem origens no mesmo lugar, e até têm algo em comum: a grande proximidade de Ken Kängström (guitarrista fundador dos Follow the Cipher) como os amigos Sabaton (colaborou na grande “Carolus Rex”). Mas atenção. Se pensam que vamos ter uma versão dos Sabaton, desenganem-se!

Posto isto, o que podemos esperar de este novo LP? Power Metal. E com muita qualidade! Para já, destaquemos algo importante: os teclados. Sem presença de um teclista, temos de dizer que estão muito presentes e criam ambientes fortes e sólidos nas músicas. A banda é composta por 5 elementos, dos quais se destaca sobretudo  Linda Toni Grahn, e a sua voz, melódica e poderosa! Claro que os movimentos melódicos, as harmonizações e os riffs das guitarras (Ken Kängström/Viktor Carlsson), a técnica no baixo (Jonas Asplind) e a qualidade da bateria (Karl Löfgren) dão um equilíbrio rítmico e uma certa consistência a este “Follow the Cipher”.

A faixa que abre este LP, “Enter the Cipher” mostra um Power Metal de razoável qualidade, mas a verdade é que somos literalmente sugados para o álbum com a faixa seguinte “Valkyria”, que nos encaminha totalmente para aquilo que caracteriza o Power Metal. Um bom refrão “catchy”, e uma rítmica muito interessante. Segue-se “My Soldier” com um ritmo que alterna entre o mid-tempo e o High tempo, e novamente com um refrão que convida a ser entoado. De uma maneira geral, os refrões das faixas que compõem este “Follow the Cipher acabam todas por ter algo catchy. Destaque ainda para “Mind’s  Escape” que nos leva a saborear a sua rítmica própria,  mais lenta mas ao mesmo tempo algo hipnótica, com um refrão que fica na cabeça (e aqui novamente a presença forte e muito interessante dos teclados), e estranhamente muito Heavy (bom pré-chorus). Também uma palavra para a teatralidade que se destaca em “Play with Fire”, algo que não se encontra de uma maneira tão óbvia no resto do LP. E por fim, o óbvio, “Carolus Rex” com uma versão diferente para fechar com relevo este “follow the Cipher”.

Pessoalmente, considero que para um primeiro registo este “Follow the Cipher” é um LP bem construído, nem sempre muito equilibrado, mas que tem elementos que o destaquem de outros. A presença constante dos teclados que oferecem a este trabalho uma atmosfera absolutamente fantástica, os riffs incisivos, a produção global do álbum que é bastante “clean”, são exemplos de um bom primeiro trabalho. Interessante sem nenhuma dúvida!

Pontuação:  8/10

Por:  Julien Valente

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*