At The Gates

Banda: At The Gates

Titulo: To Drink From The Night Itself

Editora: Century Media Records

Data de Lançamento: 18.Maio.2018

Maioritariamente conhecidos como uma das bandas pioneiras do Death Metal melódico na sua tradução mais livre, ou se quisermos para os mais conhecedores o Gothenburg Sound, os At The Gates, são uma referência incontornável no panorama da música metal europeia e assim também, mundial.

Inicialmente formados em 1990, altura em que este movimento de Gotemburgo, na Suécia, desabrocha também com congéneres como os In Flames ou Dark Tranquility, e apesar de algumas prolongadas interrupções na sua carreira, contam num todo com uma existência musicalmente ativa de 38 anos, o que muito também quer dizer para o porquê da inerente curiosidade que sobre este coletivo recai no que diz respeito às suas edições discográficas.

De fôlego renovado após o seu regresso em força no ano de 2010 e com uma criatividade e originalidade que lhes é característica, os At The Gates não se fazem rogados em presentear os seus imensos seguidores com um novíssimo trabalho, que será oficialmente lançado pela internacional Century Media Records no próximo dia 18 de Maio do corrente.

“To Drink From The Night Itself” é o título deste 6º álbum de originais e o sucessor de “At War With Reality” que saciou a fome melómana das criações musicais de Lindberg e seus companheiros de sempre aos quais se juntou o guitarrista Jonas Stalhammar (God Macabre, entre outras…).

Estruturado com 12 temas que se encaixam como elos de uma corrente sólida, produziram-se elegantemente estes 44 minutos de death metal melódico que evolui em crescendo num jorrar de ritmos hipnotizantes, com riffs cortantes alternadamente trabalhados entre a guitarra ritmo e a principal, produzindo melodias eficazes e compassadas. Da linha de baixo que se mantém constantemente grave, ressoam acordes aos quais se cola o característico timbre vocal Lindberg, áspero e sofrido, fazendo de temas como ‘The Colours Of The Beast’ ou ‘A Labyrinth Of Tombs’, autênticas pérolas de um disco versátil e atual, destacando-se por si próprio das restantes produções na mesma direção estilística.

‘Daggers of Black Gaze’ é o tema ‘fora da caixa’ deste conjunto de 12 canções, com laivos da nova sonoridade do black metal mais sinfónico, conjurando alguns tremolo pickings curtos e blast-beats de uma bateria que apenas parece aquecer o ambiente e segue em modo ‘sprint’ frenético no seguinte ‘The Chasm’.

Mais importante que destacar este ou aquele tema ou qual deu origem ao single de avanço para este novo registo dos suecos At The Gates, importa saber sim que É de facto uma banda de referência, pela inovação da sua sonoridade e precursores de uma das variantes mais perseguidas no cenário do metal, pela resiliência de se manterem fieis a eles próprios enquanto identitários de um estilo e a resistência de perdurarem saudavelmente frescos e criativos, com um fulgor que muitas jovens bandas ainda aspirarão ter.

“To Drink From The Night Itself” é um disco que reúne a capacidade musical dos elementos de At The Gates na sua melhor forma e que de mangas arregaçadas estarão prontos para tomar de assalto os palcos e o público mais exigente, sem defraudar as expetativas que neles criamos. Resta-nos ouvir vezes sem conta e a cada investida sonora descobrir uma miríade de pormenores que faz deste disco um diamante em bruto.

Pontuação: 9/10

Por: Paula Antunes

 

_______________________________________________________________________

 

Band: At The Gates

Title: To Drink From The Night Itself

Label: Century Media Records

Release Date: 18.May.2018

Mostly known as one the pioneer bands of the Melodic Death Metal movement in its wider manner of speech, or for the more well acquainted to the Gothenburg Sound, At The Gates, as a band, are one of the ultimate references of the European metal music scene and so thus worldwide.

Originally formed in the year of 1990, time when this Gothenburg movement, in Sweden, flourishes also with peers as In Flames or Dark Tranquility, and in spite of some longer breaks in their career, they count in its whole of a very active musical existence of 38 years, which also tells us the why of a inherent curiosity upon this collective in the ways of their record editions.

With a captured and fresh breath after their full power return in 2010 and with the creativity and originality that is a characteristic of their own, the At The Gates don’t surrender in order to offer their massive followers with a new work, officially released by the major Century Media Records label the next May, 18th.

“To Drink From The Night Itself” stands as the chosen title of this 6th album of original songs and the successor of “At War With Reality” which fulfilled the musical hunger of Lindberg’s creations and his since forever band mates, to whom the newest member, the guitarist Jonas Stalhammar (God Macabre, among others…) as joined.

Structured upon 12 tracks that fits perfectly as solid chain links, were elegantly produced this 44 minutes of melodic death metal, evolving on a crescent within a stream of hypnotizing rhythms, with sharp cutting riffs worked through rotation in-between the lead and the rhythm guitars, delivering effective step-by-step melodies. From the bass line which is in a constant grave tone, resonates chords on which the specific vocal crest of Lindberg’s glues in, harsh and suffered, making of songs as ‘The Colours Of The Beast’ or ‘A Labyrinth Of Tombs’, true pearls of a versatile and modern record, highlighting itself of other productions of the same stylistic direction.

‘Daggers of Black Gaze’ is of this ensemble of 12, the ‘out of the box’ track, with streaks of the new black metal sounds, more symphonic, conjuring some shorter tremolo pickings and pounding blast-beats of a drum set  that appears only to warm up the mood and leads in a ‘sprint’ and frantic pace to the following ‘The Chasm’.

More important than point out this or that song or which originated the advanced single for this new record of the Swedish At The Gates, matters knowing that they are IN fact a band of reference, for their innovative sonority and starters of one of the most pursued variables of the metal scene, for their resilience in being true to themselves as upholders of a style and the resistance of healthily lasting fresh and creative, with youthful glow that many younger bands can only aspire to have some day.

“To Drink From The Night Itself” is a record that sums the musical ability of At The Gates’s members who are in their best shape, and ready to be hardworking in order to raid stages and more demanding audience, without disappointment on the expectations that we will create on them. For now, it’s up to us, listeners and followers, to play this record countless times and in each time we’ll discover a myriad of details that makes of this record a rough Diamond.

Score: 9/10

By: Paula Antunes

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*