Luxúria de Lillith

Entrevista: Luxúria de Lillith

Por: Ligia Ferreira

Hintf:  É um prazer entrevistar-vos! Recentemente estiveram cá em Portugal para actuar, mais precisamente no Metalpoint e no Stairway Club. O que acharam do público português? Foram noites memoráveis?

Drakkar – Salve Hintf tudo bem. Sim, para nós foi algo único, esta apresentação foi nosso primeiro concerto na Europa. Eu particularmente estava muito nervoso por esta realização. Tratava-se de um show pequeno, e não haviam muitas pessoas, mas, muito impactante para nós. Tivemos como suporte e apoio da banda Sonneillon Black Metal de Porto que nos garantiu esta realização. Muito agradecido a eles por estarem conosco fortalecendo a cena Black Metal além das fronteiras. De modo geral, os portugueses são muito hospitaleiros, receptivos e acolhedores, tivemos oportunidade de conhecer pessoas que vivem a cena Black Metal de forma única e profunda, antenados aos estudos ocultistas e nos oportunizaram a conhecer muitas coisas, mesmo em pouco tempo sobre a cultura portuguesa, desde suas grandes batalhas, conquistas e desbravamentos.

Yngrid–Com certeza a ansiedade era grande já que foram nossas primeiras apresentações. Tivemos uma grande surpresa, pois ao contrário do que se esperava, os portugueses foram muito gentis e amorosos. Com amigos que conhecemos no evento do Stairway conhecemos os pontos turísticos mais conhecidos padrão dos descobrimentos, Évora, museus e sítios arqueológicos. Mesmo em pouco tempo conhecemos muito sobre a cultura portuguesa, desde seu desenvolvimento e construção.

Hintf: Foi a primeira vez que cá estiveram no país?

Drakkar – Sim, não somente para tocar, mas para conhecer a cultura do país. Já estávamos planejando a tour há algum tempo, mas, em 2017 foi possível realizar esta tour. Antes, poucas pessoas conheciam nosso trabalho o que dificultava nossa ida para Portugal, mas, na medida em que as pessoas conheciam nosso trabalho, aumentaram as alianças e pessoas dispostas a realizar esta tour no continente europeu.

Yngrid – Em Portugal devemos fazer especial agradecimento a Aurélio Silva, Paula e Miguel Ribeiro, que foram nosso braços fortes possibilitando a realização destes eventos. Agradecer ainda, aos nossos amigos dos Sonneillon que foram muito agradáveis e nos receberam no Metalpoint com muitas cervejas e um bom papo. À amiga Mafalda e os Frost Legion, ainda à Invoke e Eremus.

Hintf: Já conheciam muito da nossa cultura?

Drakkar – No Brasil, para quem não conhece Portugal pessoalmente, imagina que seja muito parecido com nosso país, ou que tenha as mesmas dificuldades econômicas e sociais enfrentadas pela nossa cultura. Sabemos que a corrupção e a escravidão econômica está em toda parte no mundo. No entanto, muitas coisas são muito particulares de Portugal e não se comparam a nada que vivemos aqui no Brasil, percebe-se uma preocupação elevada com a educação, história, arte, cinema e turismo, muitos espaços para entretenimento, ruas bem sinalizadas e limpas, infraestrutura nas cidades, uma população mais educada e diversificada. Disse um amigo que reside em Lisboa: “Aqui você tem duas belas imagens da cidade, maravilhosa Lisboa durante o dia e Lisboa que brilha durante a noite”. Em Porto e Lisboa, encontramos pessoas de vários lugares do mundo, desde: brasileiros, ingleses, marroquinos, irlandeses, espanhóis, alemães, russos, japoneses, coreanos, argentinos, mexicanos, e claro, pessoas de vários países asiáticos e americanos. Portugal deve ser conhecida pelo mundo, por se tratar de um país rico culturalmente, construiu uma grande história para a humanidade em suas navegações e aprendeu a sobreviver após as grandes catástrofes da natureza. Tornou-se um estado laico pela luta dos grandes construtores e agora deixa sua arte para quem possa apreciar e conhecer este universo construído pelos grandes engenheiros e arquitetos.

Yngrid – O que se conhece sobre Portugal basicamente no Brasil, são as danças, o fado e a comida, principalmente o Bacalhau. Hoje dizemos sempre quando elas vem com seus preconceitos de que devem ir a Portugal e conhecer este maravilhoso país que não deixa nossas memórias.

Hintf: Tiveram oportunidade de passear e provar a nossa gastronomia? O que acharam?

Drakkar – Ao provar da gastronomia portuguesa, percebi que os alimentos possuem pouco sal. Encontramos alguns derivados de carne, salsichas, salames, e muitos queijos diversificados. Parecia uma alimentação mais saudável e mais adocicada ao paladar, mas, compensada pelas especiarias, entre pastéis, tortas, bolos e salgados e outros pratos que não conhecia antes. Em alguns pratos com legumes e verduras, a presença da pimenta do reino estava em toda parte, e claro um excelente pão d’alho para acompanhar a cerveja que mais gostei de tomar, a ‘super bock’. Se necessita-se viver da gastronomia portuguesa me adaptaria facilmente, pois, sou suspeito para falar de pratos diversos, por gostar de conhecer e apreciar sempre as novidades da gastronomia em todo o mundo.

Yngrid – Provamos as carnes, os pães e doces, senti muita falta do sal (que não é saudável rsrsrs), e senti muito açúcar em tudo. Como já esperado muita pimenta preta e muitos peixes. Percebemos também muitos pratos que, com certeza, foram recriados na cultura brasileira, como os pudins que no Brasil levam mais ovos do que açúcar. Podemos apreciar muitas coisas que são muito raras para nós no Brasil por causa do clima, como queijos de cabra, os maturados os mofados, as frutas do bosque.. frutos do mar.

Hintf: Podem falar-nos sobre alguns dos tópicos de que falará o novo álbum?

Drakkar – O novo álbum da horda Luxúria de Lillith, está sendo escrito desde 2016, comecei com a proposta de criar um universo ficcional, uma espécie de conto que envolve ficção e horror. Ao criar os primeiros arranjos desde álbum, me veio a ideia de fazer uma ‘ópera black metal’, posso considerar que seja a primeira ‘ópera black metal’ brasileira sendo construída. Este universo ficcional foi intitulado ‘Gehennom’, sendo o nome do álbum e primeiro ato da ópera. Trata-se de uma grand ópera black metal em nove episódios, narrados em nove músicas. Os três primeiros atos serão divulgados inicialmente por um EP promocional para que o público conheça o que estou a produzir intitulado: ‘Aos filhos de Asmodeus’. A história se baseia na passagem dos demônios de Gehennom para o pequeno planeta Terra, invocados por um mestre do ocultismo. Seu trabalho resultou num portal dimensional capaz de trazer para a terra os demônios de Gehennom, creio terminar este trabalho até agosto de 2018.

Hintf: Qual é o vosso processo de composição, quem faz o quê?

Drakkar – Eu comecei a banda em 1998 na cidade de Goiânia GO, a maior cidade do centro-oeste brasileiro e nela tive acesso a alguns estúdios de ensaios e gravação, aos poucos fui me desenvolvendo nos instrumentos musicais e escrita de poesias e letras para esta banda. Gravando algumas demos ensaio, comecei a compor ainda muito jovem em alguns projetos de black e death metal. Sempre gostei de uma levada mais Bathory, Venom e Celtic Frost, apesar de gostar de algumas bandas de Death Metal anos 90. Assim, independente de pessoas, fui gravando todos os instrumentos até o presente momento. O Line-up atual reproduz estas músicas que gravei ao longo dos 20 anos de banda, inclusive o novo álbum, com apoio de um produtor de estúdio apenas. Arkana tem participado das composições deste disco, para termos uma instrumentação mais refinada, melhor produção nas músicas e a participação de suas vozes, enriquecendo mais o trabalho. Geralmente faço as guias de guitarra, gravo as baterias, baixos, vozes e por fim, alguns solos e os teclados.

Hintf: Como é a cena do black metal aí no Brasil?

Drakkar – A cena black metal brasileira está ramificada em diversos subgêneros musicais, como thrash black, raw black metal, atmosferic black metal, black doom, e outras hordas com um estilo mais speed metal, musicalmente o Brasil é muito rico e muito diversificado, desde temas pagãos, dogmas satânicos e niilismo. Em questões ideológicas, o radicalismo predomina em boa parte das cidades, sustentando sua identidade quase que intocada. Em minhas pesquisas e andanças, vejo ainda a precarização dos shows e muitas rivalidades, houve um tempo que o black metal, quase foi dizimado, dando margem para que outros subgêneros repudiados pela cena crescessem. Porém, nos últimos dez anos, os shows floresceram novamente, dando abertura para diversas bandas nacionais que, poucos ai na Europa conhecem. Estas hordas de black metal nacional estão se apresentando e lançando discos de muita qualidade musical. Bandas como: Opus Tenebrae, Vazio, Creptum, Amazarak, Power from Hell, Desdominus, Svatan, Corpus ov Christ, Ancestral Malediction, Myrkgand, Impiedoso, The Torment, Justabeli, Diaballein, Lord Satanaquia, Impurity, Amen Corner entre tantas outras, estão compromissadas com a cena black metal atual, executando bons trabalhos e bons concertos.

Yngrid – A postura das pessoas envolvidas ainda tem muito a melhorar, pela rivalidade ininteligível e uma territorialidade desnecessária que não une nem faz crescer. Após um tempo de muitos eventos, temo que a cena esteja caindo em declínio novamente. Em um Brasil em plena crise econômica, financeira e cultural, as pessoas têm comparecido cada vez menos aos eventos e poucas ainda adquirem materiais, que é o que mantêm as bandas. Há uma marginalização da cena e a visão de que a profissionalização das mesmas seja visto como algo errado. Porém lutando contra a maré vão muitas bandas ainda como citado acima por Drakkar.

Hintf:  Têm algum concerto planeado para breve?

Drakkar – Sim, iniciamos este ano, uma tour brasileira chamada ‘Íblis Rebellion Tour 2018”, com datas marcadas em quase todo território nacional. Já passamos pelo interior de Minas Gerais, São Paulo capital, descendo para o sudeste e sul do Brasil. Em junho passaremos pelo nordeste, regressando para o centro-oeste, e Setembro estaremos em turnê pelo México.

Hintf: E planos para voltar a Portugal?

Drakkar – Pretendemos em breve voltar para Portugal em uma nova sequência de shows, mas, já com a divulgação deste novo álbum. Quando terminarmos o disco vamos marcar as datas ao regresso em Lisboa, Porto e se der em outras cidades do país que provavelmente acontecerá em 2019.

Hintf: Querem deixar alguma mensagem aos vossos fãs?

Drakkar – Longa vida ao Metal e um grande abraço aos headbangers de Portugal! Muito Obrigado a todos vocês, temos muito que aprender com a cultura portuguesa. Abraço.

Yngrid – Salve meus amigos e amigas de Portugal. Muito obrigada a Hintf webzine, pela oportunidade de estar em suas páginas do Metal! Nos vemos em breve!

Contact: www.facebook.com/luxuriadelillith

Instagram: @luxuriadelillith

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*