SuuM

Entrevista: SuuM

Por: Paula Antunes

Hintf: Antes de mais agradecemos o vosso tempo para com esta entrevista e para todos os que só agora tiveram a oportunidade de conhecer a vossa música, o que nos podem dizer sobre o processo emergente dos SuuM enquanto banda?

Mark Wolf: Olá, os SuuM são o Rick, o Painkiller, o Marcas e o Mark Wolf. A banda formou-se em 2017 em Roma, com a intenção de tocar Doom Metal. Basicamente tocamos a música que nós próprios gostamos de ouvir.

Hintf: ‘Doom for the Doomed (a Condenação para os Condenados) ‘ é uma frase muito forte e memorável que se entranha facilmente na nossa memória musical e sem dúvida nos guia na direção certa do estilo musical que os SuuM nos oferecem! Que força teve esta ‘condenação’ nas vossas almas musicais para criarem SuuM?

Mark Wolf: Todos os menbros da banda são maníacos por Doom desde há muito tempo, os SuuM nasceram com a intenção de tocar Doom Metal, Doom for the Doomed, nada mais. O Doom é conhecido como o género que se celebra a sim mesmo. E a alma é algo importante quando tocamos este género de música.

Hintf: O que significa SuuM e porquê a escolha deste nome para a banda? Quais eram as outras opções?

Mark Wolf: Bem, SuuM deriva da língua latina, mas honestamente escolhemo-lo pela forma como soa aos nossos ouvidos, arcaico, antigo. É perfeito para a nossa música.

Hintf: Lançaram recentemente o vosso disco de estreia da vossa carreira, “Buried Into The Grave”, editado em CD pela editora Endless Winter e em cassete pela Hellas Records. Estamos de volta à era do vinil, por isso planeiam também alguma edição especial em vinil para este disco?

Mark Wolf: Assim esperamos, somos todos fãs do vinil.

Hintf: Falem-nos um pouco mais sobre “Buried Into The Grave”, a sua ideia conceptual, principais inspirações e influências, sobre que nos fala?

Mark Wolf: “Buried Into The Grave” é a banda Sonora perfeita para uma caminhada noturna num cemitério. Como disse, não somos inovadores, não estamos a inventor nada de novo; queremos apenas tocar Doom metal com a atitude certa. Liricamente sempre me interessou o lado obscuro das coisas. Com o uso de metáforas descrevemos o horror que nos rodeia todos os dias.

Hintf: Provenientes de Roma, Itália, um país também bem conhecido pelo constante florescimento de novas bandas, como é a cena local e quão bem está o vosso disco a ser recebido quer pelos fãs e pela Imprensa?

Mark Wolf: Há um bom movimento e por princípio há um bom apoio entre bandas. “Buried Into The Grave” tem sido muito bem recebido, totalmente não expectável. Provavelmente a nossa intenção foi bem aceite pelos ouvintes.

Hintf: Revelem-nos os planos e a agenda de concertos para a promoção deste “Buried Into The Grave” pelo mundo fora, Portugal está incluído em alguma dessas datas?

Mark Wolf: Temos algumas datas agendadas, também fora de Itália; o nosso desejo é tocar o máximo possível e em todo o lado. Claro que também esperamos poder tocar em Portugal um dia.

Hintf: A arte visual de SuuM; quem é o responsável pela imagética da banda e de onde vem a inspiração para esta?

Mark Wolf: O Painkiller (o nosso homem da guitarra) é o artista que cria o nosso grafismo. A inspiração vem da atmosfera e cenários que criamos com a nossa música.

Hintf: Por fim mas não menos importante, deixem-nos uma lúgubre e fatídica mensagem aos nossos leitores e vossos seguidores portugueses!

Mark Wolf: Obrigado pela interessante entrevista. Hey maníacos! Ouçam o “Buried Into The Grave”, a banda sonora perfeita para um passeio noturno no cemitério. Sigam o Sabbath!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*