New Mecanica

Entrevista: New Mecanica

Por: Lígia Ferreira

Hintf: Obrigada pela entrevista. Naturais do Barreiro e já com dois álbuns editados, como nasceram os New Mecanica?

Obrigado desde já pela oportunidade. Os New Mecanica nasceram perto de 98, num local que sempre foi uma grande incubadora de bandas, o Barreiro. Como normalmente no inicio de uma banda, foram criados por um grupo de amigos com uma paixão em comum, a música.

Hintf: Porque escolheram esse nome?

A banda anteriormente chamava-se RESET. Quando surgiu a edição via a COPRO RECORDS/CASKET MUSIC (UK) do álbum “LOVE & HATE” surgiram algumas questões legais por já existir uma banda com esse nome em Inglaterra. Optou-se nessa altura por se alterar o nome, uma vez que estávamos a começar uma nova fase. NEW MECANICA vem exatamente daí.  NEW por ser uma fase nova e ser um nome novo, e MECANICA por virmos de uma cidade industrial, carregada de infraestruturas mecânicas.

Hintf: O vosso Álbum de estreia  “Love & Hate” foi produzido por Daniel Cardoso (Anathema, Headcontrol System), em que medida influenciou a sonoridade final do álbum?

Na realidade o álbum foi produzido pela banda e misturado/masterizado pelo Daniel. O facto que influenciou muito a sonoridade do álbum foi o facto de não termos um baterista fixo na altura da gravação e de ter sido ele próprio  a gravar a bateria, uma vez que é um músico e baterista extraordinário e muito criativo. Isso teve um papel importante na sonoridade final do disco.

Hintf: Acham que atualmente ainda vale a pena editar álbuns no formato físico, ou o formato digital é o futuro?

Pessoalmente, gosto de acreditar que haverá sempre lugar para álbuns físicos. Sim, o digital é o futuro e não se pode existir sem existir no mundo digital. Não podemos negar a evolução dos tempos e a força que as plataformas digitais têm neste momento. Diria que a maior parte das pessoas hoje em dia, quando quer pesquisar sobre uma banda não irá a uma loja pedir para ouvir o CD. Pesquisa no youtube, spotify, apple music e afins. 

Hintf: O que pensam sobre o download ilegal de música?

O download ilegal está para a atualidade como antigamente estava a partilha de cassetes entre amigos e o gravar as músicas da rádio. Isso promove as bandas e dá o acesso das mesmas a muita gente. O problema real não está no donwload ilegal, mas sim no lucro de terceiros com isso. Esse é que é o verdadeiro problema no download ilegal de conteúdo artístico. No nosso caso, estamos num patamar que se existir download ilegal das nossas músicas, será certamente mais positivo em termos de promoção do que prejudicial a nível económico. Não quer dizer que suportemos isso, apenas não condeno no que nos diz respeito.

Hintf: Vocês têm participado em alguns festivais, mais recentemente o Camarro Fest, como foi a experiência?

Foi uma excelente experiência. Sendo um festival que é da “nossa terra”, foi com prazer que finalmente participámos na 3ª edição. É jogar em casa e estamos muito à vontade com isso. É um festival que está a caminhar seriamente para gravar o nome na lista de festivais nacionais de metal.

Hintf: Acham que ainda há muito por fazer e melhorar nos festivais de música nacionais?

Há sempre mais a fazer. O mais sonante a meu ver está no facto do Rock In Rio, ultimamente fazer pouco justiça ao facto de ter “Rock” no nome. A nível de festivais de metal em que temos participado, não temos nada a apontar. Sempre fomos bem tratados e com as condições necessárias para fazer um bom trabalho em palco, que é o que realmente no importa.

Hintf: O que pensam da cena musical nacional em geral?

Estamos carregados de grandes bandas em Portugal. É um panorama muito rico em todos os estilos de metal e com muita gente que poderia estar a dar cartas pelo mundo fora. Infelizmente para isso é sempre necessário muito investimento, tanto a nível monetário como a nível pessoal, por parte das pessoas envolvidas e nem sempre isso é fácil de fazer. Felizmente que vão havendo bastantes concertos e festivais por cá. E já se vai vendo algum apoio por parte de promotores em por bandas portuguesas a fazer primeiras partes de bandas internacionais.

Hintf: O vosso terceiro álbum, Vehement, será lançado este ano. Já há data prevista para o lançamento?

Estamos a tratar de alguns detalhes finais e será anunciada a data em breve. Já temos um single de apresentação a rodar “WRITTEN” e brevemente será disponibilizada mais um música.

Hintf: O que podem os fãs esperar do álbum? Seguirá a linha dos trabalhos anteriores?

Podem esperar algo numa linha que consideramos uma evolução do álbum anterior. Tentamos fazer músicas fortes, com bons refrões e boas linhas melódicas. Não seguimos um padrão de composição quando estamos a preparar as músicas. É apenas o que nos sai e felizmente consideramos ser minimamente homogéneo a nível musical. Ainda assim existem duas músicas neste novo disco que fogem um bocado à nossa sonoridade habitual. A “CLOUDED”, que é uma música com um vibe mais rockeiro e por isso mesmo decidimos convidar o Fast Eddie Nelson, um grande músico também do Barreiro, para fazer o solo, que diga-se de passagem, foi muito bem conseguido. A música que dá o nome ao disco “VEHEMENT” também tem uma estrutura diferente do habitual e um ambiente mais melancólico. O artwork da capa também esteve a cargo de um fantástico desenhador do Barreiro (Ricardo Reis – www.fb.com/RicardoReisIllustration/) e foi uma mais valia a todo este trabalho.

Hintf: Quais serão os temas abordados neste trabalho?

Acabamos sempre por falar no que nos rodeia no dia a dia. Falamos de temas que passam desde o medo de envelhecer à destruição que causamos no nosso planeta, passando por questões introspectivas do ser humano e de dualidades de pensamentos. A música “VEHEMENT” é uma espécie de homenagem a quem tem coragem e perseverança de arriscar para ir à descoberta do desconhecido. Sentimos que seria um titulo perfeito para dar nome ao disco.

Hintf: Para os próximos meses têm alguns concertos já agendados?

Estamos a preparar o lançamento do disco para breve e estamos a trabalhar para começar a divulga-lo. Ainda não existem datas concretas, mas vão ficando atentos ao nosso. Aproveitamos para deixar o contacto a quem queira contactar-nos para concertos, que o podem fazer através da Avantegarde MNGT – (Filipe Marta – 919051581 – filipe.marta@avantegarde-mngt.com). Um grande obrigado também à Avantegarde MNGT por ter apoiado o processo de conclusão deste ultimo disco.

Hintf: Não tenho mais perguntas, gostariam de deixar uma mensagem aos nossos leitores?

Gostaríamos de convidar todos os que dedicaram tempo a ler esta entrevista a ir ao nosso facebook (www.fb.com/newmecanica) e ouvirem algumas das nossas músicas. Caso gostem, deixem o vosso like na página e apareçam nos nossos concertos. O público é a razão pela qual tocamos ao vivo!

Obrigado à Hintf pela oportunidade e contamos também convosco no lançamento do disco!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*