Death Alley

Entrevista: Death Alley

Hintf: Olá! Antes de mais gostaria de vos agradecer pela entrevista. Comecemos do início… A banda é composta por (ex) -membros dos Gewapend Beton, In Solitude, The Blues Junkies e dos The Devil’s Blood, digam-me como isto aconteceu?  

Eu (Oeds, guitarrista) e o Douwe (vocalista) conhecemo-nos desde sempre. A nossa antiga banda, os Gewapend Beton, começou quando ainda éramos muito jovens. Eu mais tarde juntei-me aos The Devil’s Blood e depois destes deixarem de existir decidimos que era tempo de canalizar essa colaboração de longo tempo numa direção mais fresca e começar os Death Alley. O Uno (baterista) que conheço de tours com os The Devils Blood e o Sander juntaram-se mais tarde pelo caminho, mas todos sabíamos ser um excelente músico e este estava desejando mudar de vida e juntar-se a nós.

Hintf: Quando se aperceberam que haviam formado uma banda? 

Quando sentimos uma nova liberdade na nossa criação. E que sentimos estar em sintonia a muitos níveis.

Hintf: Provindo de diferentes bandas, tendo diferentes influências musicais, como se encaixaram? Foi natural?  

Todos partilhamos um alto nível de mente aberta no que toca à música. Tendo todo este historial de diferentes estilos e deixá-los libertarem-se neste coletivo é o que o torna interessante. Sempre o sentimos natural.

Hintf: Quais são as vossas influências musicais?

Rock’n’roll é o mais comum e diversificado. Desde Chuck Berry a Dissection.

Hintf: De que forma tipificam o vosso estilo?

Rock’n’roll.

Hintf: Os Death Alley são uma inortodoxa contaminação de delicadas melodias de metal com o rock’n’roll, com um negro toque de alma psicadélica. Como podem ter tantas facetas sonoras e vocais que nos relembram de nada?

Os vocais fizeram-te lembrar de algo? Não sei bem.

Hintf: O vosso último álbum é de 2015, qual a história por trás da banda Orange Sunshine, de Guy Tavares e dos estúdios Motorwolf?

Nós estávamos prestes a encontrar uma sonoridade quando conhecemos o Guy Tavares no seu bunker, ele deu-nos forma com a sua maneira mágica de produzir uma banda. A sua banda, os Orange Sunshine, têm sido uma grande influência para o nosso trabalho. Vai descobrir se não te é familiar.

Hintf: Por quanto tempo estiveram em estúdio?

Quando gravámos o nosso novo álbum “Superbia” estivemos em estúdio por pouco mais de 2 semanas, a gravar takes diretos e depois a fazer alguns ajustes.

Hintf: Quando poderemos ouvir um novo projeto dos Death Alley? Algum em progresso?

O nosso novo disco vai sair a 23 de Março pelo que só nos iremos focar nele. Mas estamos sempre a escrever material pelo que irá sempre saindo algo.

Hintf: Consideram-se uma banda de estúdio ou de palco?

Ambas, especialmente com a direção do novo álbum que veio equilibrar um pouco mais as coisas. “Superbia” é um disco que podes desfrutar em casa ou num concerto da mesma forma, eu acho.

Hintf: Que bandas andam a ouvir de momento?

Donnerwetter, King Crimson, Maggot Heart, Black Salvation, Frank Zappa.

Hintf: Querem deixar uma mensagem a todos os rockeiros, punks e metaleiros do mundo?

Esperamos ver-vos a todos nessa estrada em Maio quando formos em tour com os Honeymoon Disease da Suécia.

Ave Superbia!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*