Nordsind

Entrevista Nordsind

Por: Miguel Ribeiro

Hintf: Obrigado por responderem a esta entrevista! Como este projeto ganhou vida?

Asger: Muito obrigado pelo interesse. Bem, comecei com a minha antiga banda Hexis em janeiro do ano passado. Deixou um vazio musical na minha vida e eu decidi preencher esse vazio com um projeto solo que eu estava a querer fazer há algum tempo. Tudo se encaminhou muito rapidamente, uma vez que eu comecei. Terminei uma versão grosseira de todas as músicas num mês e, no final de janeiro, perguntei a Ole se ele queria  ajudar com a bateria. Eu conhecia Ole da cena em Copenhaga e sabia que ele era um baterista incrível. Felizmente, demo-nos bem desde o início e Ole realmente pegou nas minhas ideias e adicionou algumas camadas  e nuances muito boas à música. Nós tivemos o nosso primeiro ensaio no dia 22 de janeiro e eu reservei um tempo em  estúdio  no dia 24 e após  algumas semanas  Nordsind deixou de ser um projeto solo, para ser um duo. Nós passamos o próximo par de meses a trabalhar nos detalhes das músicas e em junho nós entramos no estúdio e gravamos o EP Efterår. Eu acho que foram basicamente os primeiros 6 meses de Nordsind.

Hintf: O que influencia o processo de composição?

Ole: Bem, o álbum e  Nordsind na sua totalidade são muito influenciados e construídos em torno do conceito de “Efterår” – a palavra dinamarquesa para o outono. De agosto a novembro, a Dinamarca é muito bonita, e é tanto a de Asger quanto a minha estação favorita. Somos muito orientados visualmente nas nossas composições. Pode soar estranho, mas falamos muito sobre cores e atmosfera nas músicas. Nós tentamos criar imagens para o ouvinte e para nós mesmos.

Asger: Sim, é importante que o ouvinte se sinta  numa espécie de jornada no nosso universo e realmente esperamos que as pessoas ouçam o outono dinamarquês brilhando.

Escrever para  Nordsind é muito diferente do que fiz no passado. Eu não tive que agradar a ninguém, pude ir com o fluxo e deixar a guitarra guiar-me. Foi um grande alívio não ter que forçar os riffs e sinto que o resultado aqui reflete esse processo de uma forma excelente. Escrevendo um riff eu geralmente começo por encontrar uma progressão de acordes porreira, que tem a vibe certa que estou a procurar. Então eu trabalho o ritmo das mudanças de acordes . É claro que é simplificado, mas isto é o básico .

Se eu tivesse que nomear algumas bandas que me inspiram, teria que ser algo como Deafheaven, Oathbreaker e Wildernessking, mas como todos os músicos eu encontro inspiração em muitos lugares e géneros diferentes. Ah, e é claro Katatonia, Dead End Kings. Esse álbum tem muita atmosfera e cheira a melancolia escandinava. Eu acho que é o meu disco quando eu só quero olhar para a chuva do lado de fora da minha janela.

Hintf: Nordsind, qual é o significado, porquê esse nome?

Asger: Nord é a palavra dinamarquesa para o norte e sind significa mente, então eu acho que a melhor tradução seria a mentalidade do norte. Para mim, era importante que o nome refletisse não apenas a música, mas também tivesse um pouco de mim e Ole nela, e acho que  Nordsind capta isso perfeitamente.

Ole: As pessoas na Escandinávia são feitas de algo especial, e é um lugar muito especial para se viver. Já que o álbum é sobre o outono na Dinamarca, nós gostamos da ideia de que os títulos das músicas fossem em dinamarquês e eu acho que “Nordsind” representa todos os sentimentos e a vibração no álbum.

Hintf: Porque  se consideram post rock / post black?

Ole: É sempre difícil colocar um rótulo na  música. Especialmente em hardcore e metal, com todos os sub-gêneros. Tivemos dificuldade em fazer isso também. Somos fãs de bandas como Deafheaven e Russian Circles, mas também muitas outras coisas que não são da família do metal. O melhor é que podemos tocar num concerto com bandas de black metal (que fizemos), mas também poderíamos tocar com bandas indie ou pop rock.

Nós tivemos pessoas em concertos que nunca iriam assistir a um show de metal, e eles adoram a nossa música, e o público do black metal também. Essa é uma ótima sensação.

Hintf: Muitas mudanças de formação?

Asger: Nenhuma alteração de alinhamento. Bem, nós usamos dois  baixistas diferentes ao vivo. Nós começamos com Christian, que também toca no Woes, mas ele é super ocupado , então decidimos tentar encontrar alguém com um pouco mais de tempo livre. Nosso bom amigo Cornelius da Everything is Terrible, que também fez o nosso videoclipe Som Aske I Vinden, se apresentou e agora é nosso baixista ao vivo. Na segunda guitarra temos Nicolai da Vola e ele está connosco desde o começo. No nosso novo material temos uma música com voz e Kim da Justinhate tem sido gentil o suficiente para nos emprestar as suas cordas vocais ao vivo e no estúdio.

Hintf: Por favor, contem-nos mais sobre o  ep Efterår… 

Asger: Efterår é, como foi dito anteriormente, um conceito EP sobre o outono na Dinamarca e isso é algo que eu queria fazer há um tempo. Eu sinto que o outono é um pouco negligenciado na música e as pessoas geralmente acham deprimente, mas como é a minha estação favorita, eu queria tentar mudar a percepção das pessoas e mostrar a beleza dela.

Eu e Ole trabalhamos muito para conseguir a atmosfera certa na música. Passamos horas discutindo quais imagens vieram à mente e o que ficaria  bem num videoclip, como a capa deveria ser e qual seria o ideal para o EP. Nós realmente tentamos fazer com que cada parte de Efterår fizesse parte de um quadro maior.

Nós gravamos no Angry Music Studios com Tobias Tønder, que também misturou e masterizou. Nós nos divertimos muito lá, mas acho que o deixamos um pouco louco com a nossa constante atenção ao menor dos detalhes. Tenho certeza que vi um ponto em negrito começando a se formar na sua cabeça durante a sessão. Não, eu tenho certeza que ele está tão feliz com o resultado como nós .

Hintf: Como foi recebido pelos fãs e pela media?

Ole: As respostas foram surpreendentes. Mais uma vez, temos sido reconhecidos por pessoas que não gostam de música agressiva, e por pessoas que estão  na cena do metal. Isso é incrível. E é maravilhoso que as pessoas estejam a gostar.

Hintf: Para quando um álbum?

Asger: Agora mesmo estamos promovendo  Efterår e o nosso foco é somente nisso. Eu tenho um sonho de fazer um álbum dividido ou um album ao vivo no futuro. Sem prometer nada, aponto para outro lançamento do Nordsind, daqui a um ano. Talvez seja um álbum, mas provavelmente não.

Hintf: Como é a cena  musical em Copenhaga, na Dinamarca?

Ole: Há muitas bandas incríveis na Dinamarca, e o país não é tão grande assim, toda a gente se conhece. Mas não há muitos locais, e a maioria deles está localizada em Copenhaga. As pessoas são muito preguiçosas quando se trata de shows. Há sempre muitas bandas a tocar, mas poucas pessoas saem para ver.

Asger: Eu sinto que a cena está lotada de bandas e que há concertos ” a mais”. Há shows todos os dias da semana, durante todo o ano em Copenhaga, e isso espalha o público um pouco.  Se perdermos um , podemos ir a outro amanhã. Primeiro problema mundial,  mas, no geral, estou super feliz com a cena. Temos toneladas de grandes bandas e muitos promotores dedicados para criar concertos.

Hintf: Por favor, definam Nordsind em apenas uma palavra …

Ole: HA! Uau…. Uma palavra. Isso é complicado. Eu diria “Efterår”

Asger: Sim, eu acho que “Efterår” seria minha escolha número um também. É a linha que liga todos os pontos nos Nordsind.

Hintf: Quais são os vossos planos para o futuro?

Asger: Bem, como eu disse, estamos a promover  Efterår e acho que continuaremos a fazer isso por cerca de um ano, espero, com mais concertos. Eu já comecei a trabalhar em novas músicas e tenho algumas idéias , mas nada está nem perto de terminar ainda. Eu tento não apressar e deixar a música fluir no seu próprio ritmo.

Hintf: Vocês sabem alguma coisa sobre Portugal?

Ole: Eu nunca estive em Portugal, adoraria ir.

Asger: Vocês inventaram o vinho do porto e fado, certo? ha ha.

Numa nota mais séria, eu adoraria fazer um show lá. Eu estive em Lisboa duas vezes e fui a alguns concertos e pareceu-me uma cena boa a que vocês têm . As pessoas eram super amigáveis ​​e a cidade era muito bonita.

Hintf: Gostariam de deixar uma mensagem para os fãs portugueses?

Ole: Bem, se tivermos algum. HA! Eu gostaria de dizer que estamos gratos pela atenção e estamos honrados que a nossa arte tenha tocado algo em vocês. Por fim, gostaríamos de incentivar-vos  a virem nos visitar em outubro e verem o outono dinamarquês .

Asger: Esperamos ter a oportunidade de dar aí um concerto num futuro próximo.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*