The Chapter

Entrevista The Chapter

Por: Maria João Tavares

Hintf: Desde já agradeço a disponibilidade para esta entrevista, e começando, não posso deixar de perguntar: Porquê tanto tempo em silêncio?

The Chapter: Antes de responder à pergunta, queremos agradecer a oportunidade que nos deram em partilhar as nossas histórias na vossa fabulosa webzine. Os The Chapter estiveram cerca de 8 anos em silêncio devido a estagnação do panorama musical em Portugal e aos novos projectos pessoais de alguns elementos da banda. Em 2007 e 2008 houve pouca dinamização de eventos, situação que motivou uma diminuição de ensaios e por consequência a criação de novas faixas. Situação que terminou numa pausa demasiado longa. Os projectos pessoais de alguns elementos adiaram o regresso da banda, mas uma vontade clara do Pedro Antunes (Bateria) em retomar com a banda em vista novos horizontes, fez com que a banda voltasse em força.

Hintf: Como se sentem agora que lançaram o álbum? Qual a opinião com que ficaram do vosso álbum?

The Chapter: Bem, a nossa ideia inicial nem era fazer um álbum. Tínhamos em mente um EP com 4 faixas. Tudo surgiu com o convite em participar num clip do Motel-X. Começamos à procura de estúdios para gravar uma faixa com qualidade para entrar nesse clip. Nessa altura surgiu o nome do Bruno Mendes e o Attic HomeStudio. Gravamos a musica “Angels and Demons” e ficamos surpreendidos com a qualidade e o poder que a música transmitiu. Fomos posteriormente gravar mais 3 faixas e ficamos com a sensação que podíamos gravar mais 1 ou 2 faixas. Conclusão, acabamos por gravar mais 4 e ficamos com um álbum de 8 musicas. Excelente. Na generalidade, achamos que a determinação e o empenho que tivemos na produção do álbum resultou num álbum muito bem conseguido.

Hintf: Quais as reacções que esperam do publico em relação a “Angels & Demons”?

The Chapter: No inicio estávamos um pouco apreensivos com a reacção que o publico poderia ter com o álbum, visto termos faixas com predominância do Doom e outras com influência de Death e Gothic Metal. Essa combinação poderia não ser muito bem aceites, mas o resultado final foi muito positivo. Tivemos um feedback muito positivo, tivemos algumas criticas onde e como melhorar. Estamos muito satisfeitos e orgulhosos do nosso trabalho.

Hintf: Porquê a escolha do tema “Angels & Demons” para o título do álbum?

The Chapter: Esta resposta é simples. Escolhemos o nome “Angels & Demons” porque foi a musica que gerou o impulso inicial para a gravação do álbum. Foi a primeira faixa a ser gravada e representa na perfeição de como o álbum foi idealizado.

Hintf: O vosso álbum é um pouco diferente do tema “Into the Abyss”, parecem mais pesados. Era este o resultado que queriam?

The Chapter: Sim. A faixa “Into the Abyss” foi gravada em 2006 no nosso 1º EP. As músicas que criávamos eram mais directas com riffs mais “Thrash” e melodias mais lineares. O nosso álbum “Angels & Demons” foi criado com uma vontade que ligar riffs mais pesados com melodias mais harmoniosas, criando uma simbiose entre esse riffs de forma a criar uma ideia de bom e mal, tal como o nome do álbum sugere.

Hintf: Vocês têm a noção da mistura entre o Gothic, o Doom e o Death que fizeram, a mistura está muito bem conseguida, mas qual é o vosso percurso, o vosso caminho? Isto foi apenas experimental? Ou já têm uma linha definida para o vosso som?

The Chapter: As nossas músicas são criadas em conjunto, não trazemos músicas feitas para os ensaios. Traçamos ideias e modelamos os riffs com ideias da banda. Como na banda as influências são diversificadas, o resultado foi esse. Não foi um processo experimental, é a forma como fazemos a nossa musica e que queremos transmitir o nosso som. Penso que não vamos mudar muito a forma como fazemos as músicas. Podemos ter algumas musicas mais pesadas e outras mais melódicas, mas tudo isso faz parte do nosso processo de criação musical.

Hintf: Os “The Chapter” não são agenciados nem têm editora. Logo por aí, coloca-se a questão da promoção do álbum. Foi difícil a promoção? Como a fizeram?

The Chapter: A nossa banda e o nosso álbum foi produzido e promovido por nós na integra. Recebemos algumas propostas de editoras, mas nenhuma tinha o modelo que queiramos. Uma das propostas obrigava a deslocação ao estrangeiro por um período de 3 a 4 semanas, o que não era viável para nós. Assim, resolvemos financiar o álbum sem nenhuma label associada. A promoção foi um processo que teve apoio dos nossos amigos e fãs que muito contribuíram para que o álbum fosse promovido.

Hintf: O lançamento de um álbum independente é complicado, quem vos apoiou?

The Chapter: Todo o processo do lançamento do álbum foi feito por nós. O João Gomes (guitarra) foi preponderante neste lançamento. Idealizou e criou a arte do álbum. O processo de replicação de CD foi escolhido e financiado por nós. Relativamente ao lançamento digital do álbum, também foi o João que esteve neste processo. Utilizamos o CD-Baby, o Spotify e o iTunes como os nossos principais distribuidores digitais do álbum.

 Hintf: Acham que a partir deste lançamento irão captar interesses de editoras para álbuns futuros?

The Chapter: Acredito que sim. Temos músicas novas em mente e temos acima de tudo uma motivação extra para fazer um próximo álbum com mais força e melodia. Actualmente, dividimos o nosso tempo de ensaio em tocar a nossa setlist para os concertos e acertar pormenores nas faixas novas. Não vamos abdicar o nosso processo criativo e vamos ter um conjunto de faixas que de certeza terão bastantes interessados.

Hintf: Quais os próximos passos agora que o álbum está lançado?

The Chapter: Vamos continuar a divulgar o álbum em todas as frentes possíveis. Vamos continuar a dar concertos e tocar a nossa setlist. Eventualmente poderemos tocar uma ou outra faixa nova para criar alguma expectativa no próximo álbum. Vamos continuar a participar em programas de radio, em magazines e todo o tipo de eventos que possam dinamizar os The Chapter e o Metal nacional. Vamos continuar a produzir vídeos com as musicas do álbum. Já temos um lyric vídeo da “Angels and Demons” e o vídeo original da música “Shaterred Emotions”. Vamos tentar lançar mais um vídeo assim que for possível.

Hintf: Vocês são mais banda de estúdio ou consideram-se uma banda para ouvir ao vivo?

The Chapter: O nosso processo de gravação não envolveu instrumentos musicais ou outros elementos que não fossem possíveis replicar ao vivo. Todas as faixas foram feitas sempre com a ideia que as poder tocar ao vivo na integra. Em 4 faixas do álbum tivemos a colaboração da Micaela Cardoso (ex-Thee Orakle) que participou nas vozes como elemento místico e melódico. A sua participação não foi exclusiva em estúdio. Participou no nosso concerto de apresentação do álbum no Another Place em Almada. Penso que a nossa dinâmica ao vivo permite que a nossa musica seja apreciada tanto no álbum como ao vivo. Temos inclusive alguns vídeos do nosso concerto no Rca Club que mostra bem a nossa dinâmica.

Hintf: Já têm algumas datas para uma tour? Ou festivais a participar?

The Chapter: Actualmente estamos a tentar preparar uma míni tour ao norte do pais. Com destino ao Porto e Viseu. Não sabemos ao certo que datas serão, mas temos a certeza que serão cheios de força e vontade.

Hintf: Quais as influencias musicais neste álbum?

The Chapter: Não podemos afirmar ao certo que influências directas existiram no álbum. Podemos dizer que a banda tem influências de Opeth, Gojira, Paradise Lost, Katatonia, mas também podemos dizer que existem bandas como Dark Tranquility, Swallow the Sun, Alcest, Sister of Mercy e Cradle of Fifth que também contribuíram. Existem gostos pessoais por Metallica, Megadeth, Slayer entre outros que certamente também influenciaram a nossa maneira de compor.

Hintf: Já disseram, com certeza, que a voz no tema “Angels & Demons” é muito parecida com a de Fernando Ribeiro. O que respondem quando vos fazem essa comparação?

The Chapter: Sim, já ouvimos essa comparação em diversas reviews e comentários. Nem todos os elementos da banda têm a mesma opinião sobre este tema. Principalmente o Pedro Rodrigues vocalista da nossa banda. Ele acredita que pode ser uma comparação negativa, pois o público pode pensar que ele “tentou” imitar o Fernando. A realidade é que não. A sua maneira de cantar é essa, entre o melódico e o gutural. O resto dos elementos da banda acreditam que é uma boa comparação porque admiramos os Moonspell e gostamos de uma comparação a esse nível.

Hintf: Será que temos de esperar mais uma década para lançarem um novo álbum?

The Chapter: De certeza que não. Podem ter a certeza que vamos lançar novo álbum num período 1 ou 2 anos no máximo. O que poderá mesmo ser mais demorado será a escolha de uma editora, caso as propostas sejam aliciantes.

Hintf: Que bandas ouvem neste momento?

The Chapter: Neste momento estamos numa fase muito Gojira e Paradise Lost. No entanto não deixamos de ouvir outras grandes bandas como os Septic Flesh ou Cradle of Filth. Ouvimos outras bandas portuguesas como os Hourswill, Rasgo, Moonspell entre outros. De qualquer modo, ouvimos tudo em geral…

Hintf: Querem deixar uma mensagem aos nossos leitores da Hintf e todos os headbangers em Portugal?

The Chapter: Queremos que continuem a apostar em bandas lusitanas, não desistam logo no inicio. Oiçam e apreciem. Não criem uma ideia errada só por serem portuguesas. Temos bandas muito boas com muita criatividade e qualidade. Apareçam nos concertos, bebam um copo e curtam a musica com amigos. Não deixem desvanecer o Metal em Portugal. Grande abraço dos The Chapter.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*